França coordena processo de escolha de candidato da UE ao FMI - fontes comunitárias

| Economia

O Governo francês vai coordenar os trabalhos entre os países da União Europeia (UE) para escolha de um candidato único ao Fundo Monetário Internacional (UE), após se ter voluntariado para "conciliar pontos de vista europeus", foi hoje divulgado.

De acordo com fontes comunitárias consultadas pela agência noticiosa espanhola Efe, França, que agora preside ao grupo internacional G7, disponibilizou-se para "ajudar a conciliar os pontos de vista europeus" no âmbito da escolha de um candidato comum ao FMI, prescindindo assim de apresentar um francês.

Os países europeus procuram uma candidatura "de consenso" para substituir Christine Lagarde como diretora-geral do FMI, revelou na quinta-feira o ministro das Finanças francês, afirmando esperar que isso aconteça até ao fim do mês.

Segundo a agência Efe, Bruno Le Maire, questionado em conferência de imprensa sobre se tinha sido discutida na reunião de ministros das Finanças do G7, que decorreu em França, a possibilidade de o cargo ser ocupado pela ministra da Economia espanhola, Nadia Calviño, disse que não ia citar nomes.

Na quarta-feira, The Wall Street Journal indicou, citando fontes europeias, que na reunião de ministros do G7 foram discutidos quatro nomes, incluindo o do ministro das Finanças português, Mário Centeno, que atualmente preside ao Eurogrupo.

Nadia Calviño, o governador do banco central da Finlândia, Ollin Rehn, e o ex-ministro das Finanças holandês Jeroen Dijsselbloem, que também presidiu ao Eurogrupo, foram os outros nomes avançados pelo jornal.

O ministro francês disse que há acordo sobre o processo de seleção, que consiste em procurar "uma candidatura europeia de consenso, que seja sólida, credível e que permita à Europa continuar a liderar o FMI".

Le Maire acrescentou que o objetivo é conseguir alcançar um compromisso "até finais de julho".

Lagarde deixa a liderança do FMI a partir de 12 de setembro para presidir ao Banco Central Europeu (BCE), substituindo Mario Draghi, que termina o seu mandato no dia 31 de outubro.

O G7 é o grupo internacional composto pela Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, tendo ainda presença da UE.

Tópicos:

Efe Bruno Le, Monetário, Street Journal,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Grécia voltou a ser a principal porta de entrada de candidatos ao estatuto de refugiados, como constatou a enviada especial da RTP a Lesbos, Rosário Salgueiro.

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.