Globalização deve ser mais justa para evitar protecionismo, defende G20

| Economia

As principais potências económicas concordaram que a globalização deve ser "mais justa" para evitar tendências protecionistas, garantiu hoje o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, após uma reunião do G20-Finanças em Washington.

"Muitas pessoas têm a impressão de não beneficiar das vantagens do crescimento e da globalização, é preciso combater isso, caso contrário teremos mais protecionismo e mais países a abandonar a globalização", disse o ministro, numa altura em que a Alemanha preside ao G20.

Antes, em declarações aos jornalistas o ministro alemão tinha defendido o comércio livre e a ausência de medidas protecionistas como "condições importantes" para a prosperidade económica no mundo.

Na última reunião de ministros das Finanças do G20, realizada no fim de março em Baden-Baden, na Alemanha, os Estados Unidos conseguiram a retirada de uma frase do comunicado final pedindo que fossem evitadas medidas protecionistas.

Tópicos:

Baden Baden,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.