Globalização deve ser mais justa para evitar protecionismo, defende G20

| Economia

As principais potências económicas concordaram que a globalização deve ser "mais justa" para evitar tendências protecionistas, garantiu hoje o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, após uma reunião do G20-Finanças em Washington.

"Muitas pessoas têm a impressão de não beneficiar das vantagens do crescimento e da globalização, é preciso combater isso, caso contrário teremos mais protecionismo e mais países a abandonar a globalização", disse o ministro, numa altura em que a Alemanha preside ao G20.

Antes, em declarações aos jornalistas o ministro alemão tinha defendido o comércio livre e a ausência de medidas protecionistas como "condições importantes" para a prosperidade económica no mundo.

Na última reunião de ministros das Finanças do G20, realizada no fim de março em Baden-Baden, na Alemanha, os Estados Unidos conseguiram a retirada de uma frase do comunicado final pedindo que fossem evitadas medidas protecionistas.

Tópicos:

Baden Baden,

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas ruas das cidades angolanas, as caravanas cruzam-se em ambiente descontraído. O cenário repete-se em M'banza Congo.

Os responsáveis pelo parque prometeram valorizá-lo e vão renovar a frota automóvel e envolver operadores privados nas visitas aos núcleos de gravuras rupestres.

O maior banco francês fez soar os alarmes na Europa ao suspender três fundos de investimento relacionados com créditos nos Estados Unidos.

Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.