Governo de Cabo Verde dá aval para empréstimo de 13,5 milhões de euros à TACV

| Economia

O Governo cabo-verdiano autorizou, através de um aval do Estado, a companhia aérea TACV a contrair um empréstimo de 13,5 milhões de euros para fazer face à "situação económico-financeira desfavorável" que a empresa atravessa.

De acordo com uma resolução, publicada no boletim oficial, "tendo em conta a situação económico-financeira que a empresa apresenta, precisa de recorrer a cofinanciamento bancário [...] no valor de 13, 5 milhões de euros".

O empréstimo será contraído junto dos bancos Privado Internacional, de Negócios Internacional e de Negócios Internacional Europa.

O Estado de Cabo Verde, enquanto acionista único da empresa, aprovou um aval para garantir o empréstimo, que terá a duração prevista de 24 meses prorrogáveis por igual período.

Em julho, o Governo cabo-verdiano tinha já autorizado a TACV a contrair um outro empréstimo bancário de 1,7 milhões de euros junto do Banco Privado Internacional (BPI.

A companhia aérea pública cabo-verdiana está em processo de reestruturação com vista à sua privatização, tendo o Governo assinado com o grupo islandês Icelandair um contrato de gestão da empresa pelo período de um ano.

Com um passivo acumulado de mais de 100 milhões de euros, a empresa assegura agora apenas as ligações internacionais depois de o Governo ter negociado com a Binter Cabo Verde o exclusivo das ligações no mercado doméstico, empresa na qual entrou com 49% do capital.

A TACV tem ligações aéreas regulares para a Europa, Brasil e Estados Unidos, mas durante o verão a empresa foi forçada a cancelar a quase totalidade dos voos devido a uma avaria no seu único avião, tendo que recorrer a outras companhias para reencaminhar os passageiros.

O presidente do Conselho de Administração da empresa, José Luís Sá Nogueira, adiantou na altura que os prejuízos provocados pela avaria do aparelho ascendiam a dois milhões de euros.

Tópicos:

Binter, Privado,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.