Inaugurada segunda linha do oleoduto entre Rússia e China

| Economia

A segunda linha do oleoduto entre a Rússia e China entrou em funcionamento esta semana, dobrando a capacidade anual da estrutura, noticiou hoje a imprensa chinesa.

A nova linha começou a operar na segunda-feira e tem uma capacidade anual de 15 milhões de toneladas de crude, de acordo com o jornal oficial em língua inglesa China Daily.

Com quase mil quilómetros, esta nova linha vai permitir à China reforçar a segurança energética, numa altura de declínio na produção de crude no nordeste do país asiático.

A partir deste ano, a estrutura vai ainda transportar 38.000 milhões de metros cúbicos de gás natural.

A China pretende fomentar o uso daquela fonte de energia para reduzir o recurso ao carvão e combater a poluição que afeta várias cidades do país.

A Rússia é um dos principais fornecedores de petróleo da China, juntamente com Angola e Arábia Saudita.

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.