Inaugurada segunda linha do oleoduto entre Rússia e China

| Economia

A segunda linha do oleoduto entre a Rússia e China entrou em funcionamento esta semana, dobrando a capacidade anual da estrutura, noticiou hoje a imprensa chinesa.

A nova linha começou a operar na segunda-feira e tem uma capacidade anual de 15 milhões de toneladas de crude, de acordo com o jornal oficial em língua inglesa China Daily.

Com quase mil quilómetros, esta nova linha vai permitir à China reforçar a segurança energética, numa altura de declínio na produção de crude no nordeste do país asiático.

A partir deste ano, a estrutura vai ainda transportar 38.000 milhões de metros cúbicos de gás natural.

A China pretende fomentar o uso daquela fonte de energia para reduzir o recurso ao carvão e combater a poluição que afeta várias cidades do país.

A Rússia é um dos principais fornecedores de petróleo da China, juntamente com Angola e Arábia Saudita.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.