INE. PIB com aumento de 2,9% em cadeia e variação homóloga de 4,2% no terceiro trimestre de 2021

por RTP

Os números referentes às contas nacionais do terceiro trimestre foram publicados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística e confirmam os avançados na estimativa rápida divulgada em 29 de outubro.

Em comparação com o trimestre anterior, o PIB subiu 2,9% entre julho e de setembro, alavancado essencialmente pelo aumento da procura externa e também, embora com menor contribuição, pela procura interna. Este crescimento reflete já o relaxamento das restrições relacionadas com a pandemia.

A variação anual de 4,2% (entre o terceiro trimestre de 2020 e igual período deste ano), apesar de positiva, é menos intensa do que a registada na comparação trimestral anterior. A contribuição da procura externa manteve-se negativa, tendo as importações subido a um ritmo "ligeiramente mais pronunciado" do que as importações.

“Refira-se ainda que, no terceiro trimestre de 2021, os deflatores das importações e das exportações registaram crescimentos acentuados, sobretudo relacionados com a evolução dos preços dos produtos energéticos e das matérias-primas, prolongando-se a perda nos termos de troca observada no trimestre precedente”, acrescenta o INE.
Taxa de desemprego nos 6,4%
A taxa de desemprego em setembro fixou-se nos 6,4%, 0,1 pontos percentuais acima do verificado no mês anterior e 0,4 pontos percentuais abaixo do registado no segundo trimestre deste ano. Em termos homólogos, a variação foi de -1,6 pontos percentuais, já que a taxa de desemprego em setembro de 2020 se situava nos 8%.


pub