Inflação foi de 110,1% em maio

| Economia

A Venezuela registou uma inflação de 110,1% de durante o mês de maio, segundo dados divulgados hoje pela Comissão de Finanças (CF) da Assembleia Nacional (parlamento), onde a oposição detém a maioria.

Os dados foram anunciados pelo presidente daquela comissão, Rafael Guzmán, numa conferência de imprensa em Caracas, sobre a hiperinflação em Venezuela e dão conta que em 12 meses os preços subiram 24.571% no país.

Segundo as estatísticas a Venezuela teve, em maio, uma taxa de inflação diária de 2,4% e, desde janeiro último, os preços ao consumidor subiram 1.995,02%.

"São precisos 200 salários mínimos para cobrir o cabaz básico (...) não podemos deixar de advertir sobre a urgência de mudar as políticas económicas da Venezuela", disse Rafael Guzmán.

"Os investidores voltaram a cara à Venezuela e o Governo é o único responsável. As pessoas não vão colocar a sua produção num mercado onde não lhe vão pagar o que realmente vale e militarizar os mercados não são a solução", disse.

Na Venezuela, desde há mais de dois anos que não há dados oficiais sobre a inflação, apesar de a legislação em vigor prever que sejam divulgados periodicamente pelo Banco Central da Venezuela.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Estado de Kerala, na Índia, está a enfrentar as piores cheias do último século. As chuvas torrenciais fizeram 350 mortos e deixaram cerca de 350 mil pessoas desalojadas.

    Os depósitos foram descobertos nas regiões polares. Se houver gelo suficiente na superfície, a água poderá ser utilizada em futuras missões ao satélite natural.

    Ocupou durante 60 anos vários cargos nas Nações Unidas e viria a deixar a sua marca na história da organização. Kofi Annan morreu em Berna aos 80 anos.

    Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.