Jerónimo diz que é "insuficiente" contratar funcionários sem aumentos salariais

| Economia

|

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje que a contratação de funcionários públicos sem aumento de salários, em 2019, é uma proposta "insuficiente" por parte do Governo e uma "injustiça" para os trabalhadores.

"O que nós dizemos é que isso é uma resposta claramente insuficiente, porque há cerca de dez anos esses trabalhadores não vêm um aumento salarial e isso não pode continuar. Num momento em que há avanços, reposição de rendimentos e direitos, a questão dos salários continua a ser uma questão vital para os trabalhadores. O aumento salarial é possível e necessário para combater esta injustiça", disse o líder comunista, durante uma visita às Festas da Moita, no distrito de Setúbal.

A proposta do Governo sobre as Grandes Opções do Plano para 2019 (GOP), enviada ao Conselho Económico e Social e a que Lusa teve acesso, prevê a contratação de funcionários públicos no próximo ano, com vista à renovação dos quadros, mas não antecipa aumentos salariais para os trabalhadores do Estado.

O líder dos comunistas defendeu que o Governo tem de dar uma resposta ao funcionários públicos, o que, a seu ver, passa por uma "valorização salarial".

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.