Londres admite permanecer na união aduaneira até 2021

| Economia

Theresa May repetiu hoje, à chegada à cimeira europeia a decorrer na Bulgária, que "o Reino Unido vai sair da união aduaneira", mas não apontou qualquer data
|

O Governo britânico pretende prolongar por algum tempo a permanência na união aduaneira europeia após o período de transição pós-`Brexit`, por admitir que os acordos comerciais não estejam concluídos a tempo, noticiou hoje a imprensa britânica.

Segundo o jornal The Telegraph, os principais ministros do executivo de Theresa May concordaram esta semana que o Reino Unido vai continuar a seguir as regras da União Europeia (UE) por um período que pode ir até dois anos depois do fim da fase de transição, em dezembro de 2020.

O Reino Unido deve sair da UE em março de 2019, mantendo-se na união aduaneira durante o período de transição, o tempo necessário para finalizar um novo acordo de parceria.

A incerteza acentua-se quanto à data da aplicação de um novo sistema alfandegário, uma vez que o governo ainda não anunciou o que vai propor a Bruxelas.

A ideia de prolongar o período de transição foi evocada várias vezes nas últimas semanas, designadamente pelo ministro das Empresas, Energia e Estratégia Industrial, Greg Clark.

Theresa May repetiu hoje, à chegada à cimeira europeia a decorrer na Bulgária, que "o Reino Unido vai sair da união aduaneira", mas não apontou qualquer data.

A hipótese de prolongar a permanência na união aduaneira é rejeitada pelos partidários do chamado `hard Brexit`, uma rutura total com todos mecanismos europeus.

O Reino Unido prometeu reduzir o máximo possível os controlos fronteiriços sobre mercadorias em trânsito de e para a UE e evitar uma fronteira rígida entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, membro da UE.

Simultaneamente, Londres quer assinar acordos comerciais com países terceiros.

Tópicos:

Bulgária,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.