Marcelo diz que "rearranques económicos" não se compadem com avanços e recuos

por Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que Portugal não vai fechar nem confinar, sublinhando que os "rearranques económicos" não se compadecem com avanços e recuos.

Em Braga, na entrega do Prémio Inovação COTEC/BPI, Marcelo Rebelo de Sousa reiterou que as novas medidas a implementar para travar a covid-19 têm de conciliar a preocupação sanitária com a continuação da "caminhada económica e social" já encetada.

"Qualquer bom senso demonstra que têm de ser medidas em que se conjuga a preocupação sanitária com a vida continuar, com a abertura económica e social não recuar, com aquilo que foi feito e lançado em 2020 e 2021 prosseguir o seu rumo", referiu.

Marcelo garantiu que, em Portugal, vai haver o "equilíbrio que se traduz no bom senso no plano sanitário, mas também na caminhada económica e social já iniciada e que vai prosseguir".

"Não podemos ter rearranques económicos com avanços e recuos, isso não existe (...). Portugal não vai fechar, não vai confinar", vincou.

Sublinhando que o caminho passa pela aposta na inovação, o Presidente alertou que Portugal tem de saber aproveitar ao máximo os fundos europeus dos próximos anos.

"Não podemos perder esta oportunidade, porque é irreversível e não prolongável no tempo", avisou.

O Prémio Inovação COTEC/BPI 2021 foi ganho pela empresa ebankit.

Marcelo anunciou que o próximo Encontro da COTEC Europa, em 2022, será em Portugal, mais concretamente no Minho.

Tópicos
pub