Mecanismo de Estabilidade desembolsa 1.000 ME para pagamentos em atraso

| Economia

O Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) aprovou hoje o desembolso de 1.000 milhões de euros à Grécia, exclusivamente dedicados a `limpar` pagamentos em atraso, depois de os credores confirmarem que o país fez progressos.

Esta é a última tranche que estava por entregar a Atenas do desembolso total de 6.700 milhões de euros que ficou acordado em março passado com os Estados-membros da zona euro, depois de concluir a terceira revisão.

No entanto, a sua entrega efetiva estava condicionada a que os credores - Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE), MEE e Fundo Monetário Internacional (FMI) - confirmassem que o país tinha avançado efetivamente na redução dos pagamentos em atraso no setor privado e na continuidade dos leilões eletrónicos de imóveis hipotecados.

O presidente do MEE, Klaus Regling, assinalou que a Grécia "fez progressos suficientes" e assegurou que "se mantiver o ímpeto reformista e implementar as reformas pendentes" será possível encerrar a última revisão e finalizar o programa de resgate a 20 de agosto, como está previsto.

Os credores internacionais da Grécia esperam encerrar a quarta e última revisão pendente no próximo dia 21 de junho, com a qual se aprovará o último desembolso do resgate, entre os 11.000 milhões e os 12.000 milhões de euros.

O parlamento grego aprovou hoje o último pacote de reformas exigido a Atenas, que inclui medidas de austeridade no valor de 5.100 milhões de euros para os próximos anos e reúne todos os pontos ainda pendentes para que o Eurogrupo feche na próxima quinta-feira o terceiro resgate.

Nesse dia está previsto que o grupo de ministros de Economia e Finanças da zona euro aprove também um pacote de medidas para a sustentabilidade da dívida grega (que ronda os 180% do PIB grego) e o programa de vigilância pós-programa que se aplicará ao país.

Assim, dar-se-á como terminado o resgate grego, que se conclui legalmente em agosto.

Com o desembolso aprovado hoje, a Grécia recebeu um total de 46.900 milhões de euros através do terceiro resgate, que disponibilizou até 86.000 milhões de euros ao país.

Desde o primeiro resgate financeiro em 2010, a Grécia recebeu quase 189.000 milhões de euros dos seus parceiros da zona euro para reabilitar a sua economia, em troco de reformas estruturais.

Tópicos:

Bruxelas, Monetário, PIB,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.