Negócios nos serviços desaceleram em Fevereiro

| Economia

O volume de negócios nos serviços desacelerou em Fevereiro, aumentando 5% face a Janeiro, um abrandamento liderado pelas atividades de informação e de comunicação, segundo o índice do Instituto Nacional de Estatística (INE) hoje divulgado.

O índice de volume de negócios nos serviços desacelerou em fevereiro 1,4 pontos percentuais face ao mês anterior, sendo as secções que mais contribuíram para a variação do índice agregado as de comércio por grosso, reparação de veículos automóveis e motociclos e de transportes e armazenagem, com variações de 4,6% e 6,5% respetivamente, abaixo dos aumentos de 6,9% e 6,5% em Janeiro, pela mesma ordem.

O INE salienta que a secção de atividades de informação e de comunicação apresentou a "desaceleração mais significativa", passando de uma taxa de variação homóloga de 1,8% em Janeiro para uma queda de 2,3% em Fevereiro, originando o único contributo negativo para o índice total.

Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram aumentos homólogos de 4,6%, 5,6% e 4,6%, respetivamente, abaixo dos 4,7%, 6,0% e 5% em Janeiro, pela mesma ordem.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.