Novo Banco reembolsa 1,5 milhões de dívida garantida pelo Estado

| Economia

O Novo Banco deixou de ter qualquer tipo de instrumento de dívida com garantia do Estado
|

O Novo Banco reembolsa esta sexta-feira a sua última emissão de dívida com garantia estatal, no valor de 1,5 milhões de euros, beneficiando da "melhoria e recuperação" de liquidez em 2016, adiantou fonte oficial da entidade liderada por António Ramalho.

"A extinção desta emissão põe fim às ajudas estatais de que o banco beneficiava", realçou o Novo Banco, apontando para a "melhoria e recuperação da posição de liquidez" que permitiu antecipar pagamentos da dívida ao Tesouro na reta final do ano passado.

Em novembro de 2016, o Novo Banco pagou 1.000 milhões de euros de uma emissão que se vencia no mês seguinte, e, em dezembro último, antecipou o pagamento parcial de 700 milhões de euros da emissão de 1.000 milhões de euros que vencia em janeiro de 2017.

Com o vencimento da emissão de 1.500 milhões de euros, o Novo Banco deixou de ter qualquer tipo de instrumento de dívida com garantia do Estado.

O Novo Banco é o banco de transição que ficou com os ativos menos problemáticos do Banco Espírito Santo (BES), alvo de uma intervenção das autoridades a 3 de agosto de 2014.

c/ Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.