OE2022. Marcelo pediu a Ferro que o informasse da situação no parlamento

por Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje ter pedido ao presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, para ir acompanhando e informando-o da situação no parlamento, face a um eventual chumbo do Orçamento.

Hoje, enquanto decorria o primeiro dia de debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2022, o presidente da Assembleia da República recebeu os líderes parlamentares. Segundo disseram PAN e PEV à saída destas reuniões, os temas abordados foram a atual conjuntura política e o cenário de dissolução do parlamento.

Em declarações aos jornalistas na Associação Nacional de Farmácias, em Lisboa, questionado sobre estas reuniões, Marcelo Rebelo de Sousa declarou: "O senhor presidente da Assembleia, quando eu lhe disse que gostava muito que ele fosse acompanhando o que se passava na Assembleia, como é natural, para me ir narrando o que se passava, entendeu que a melhor maneira de o fazer, na sua posição que é acima dos partidos e grupos parlamentares, era ir ouvindo todos".

Segundo o Presidente da República, Ferro Rodrigues quis ouvir os líderes parlamentares "para não dar a sua opinião pessoal -- não era a opinião pessoal do cidadão, era a opinião do presidente da Assembleia da República".

"E comunicou-me, e eu achei muitíssimo bem, que achava que devia ir ouvindo os líderes parlamentares, para poder ir definindo a posição como presidente da Assembleia da República -- tal como o senhor primeiro-ministro define, quando comunica a posição do Governo, a posição do Governo como um todo. São órgãos colegiais, não são órgãos unipessoais, portanto, quem preside tem de retratar em cada momento aquilo que é a diversidade de opiniões", acrescentou.

O debate do Orçamento do Estado para 2022 na Assembleia da República na generalidade começou hoje e termina na quarta-feira, com a votação da proposta do Governo.

Com os votos contra anunciados por PCP, BE e PEV, que se juntam aos dos partidos à direita, PSD, CDS-PP, Chega e Iniciativa Liberal, somando 117 no total, o Orçamento será chumbado na generalidade -- um cenário que o Presidente da República avisou que conduzirá à dissolução do parlamento e a eleições antecipadas.

A proposta do Governo conta apenas com os votos a favor dos 108 deputados do PS e cinco abstenções, do PAN e das deputadas não inscritas Cristina Rodrigues e Joacine Katar Moreira.

Tópicos
pub