Oi adia para 28 de maio divulgação de informações financeiras do 1.º trimestre

| Economia

A operadora brasileira Oi anunciou hoje que adiou de 15 para 28 de maio a divulgação das informações financeiras trimestrais e do relatório de revisão dos auditores independentes relativos ao primeiro trimestre de 2018.

Em comunicado ao mercado, a Oi justifica o adiamento com "uma reavaliação conjunta da companhia e dos auditores independentes em relação ao momento adequado para o reconhecimento contábil da reestruturação da dívida, novada nos termos do Plano de Recuperação Judicial".

A operadora -- da qual a Pharol é acionista de referência, com 27% das ações -- afirma que, na sequência do "adiamento da divulgação das informações financeiras relativas ao primeiro trimestre de 2018 e para garantir a estabilidade das expectativas do mercado", optou por antecipar alguns indicadores financeiros preliminares do seu resultado, com base em informações ainda não auditadas.

Assim, a operadora avança que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) no primeiro trimestre foi de 1,56 mil milhões de reais (0,36 mil milhões de euros ao câmbio de hoje).

A Oi está num processo de recuperação judicial desde 2016 com o objetivo de reduzir o passivo da empresa, que ronda os 65,4 mil milhões de reais (cerca de 16 mil milhões de euros).

O Plano de Recuperação Judicial propõe-se a reduzir o passivo da empresa, através da conversão de 72,12% da dívida suportada pelos credores, aos quais serão concedidos direitos sobre a companhia.

A operadora brasileira esteve num processo de fusão com a Portugal Telecom, que nunca se concretizou.

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.