OMC considera que guerra comercial já começou numa perspetiva política

| Economia

|

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo, disse hoje que uma guerra comercial já começou numa perspetiva política, depois da contenda sobre as taxas aduaneiras entre Washington e Pequim.

"Tecnicamente não estamos aí. Há certas medidas que foram anunciadas, mas ainda não foram aplicadas e há um diálogo", entre esses países, afirmou Azevedo na conferência de imprensa da apresentação do relatório da organização sobre as perspetivas comerciais mundiais.

Azevedo reconheceu, contudo, que "politicamente se deve estar a assistir ao início (da guerra comercial) e por isso pede aos Estados membros (da OMC) para tentarem evitá-la".

O Governo chinês apresentou esta semana à OMC uma denúncia contra os Estados Unidos por estes terem imposto taxas aduaneiras de 25% e de 10% a determinados produtos de aço e alumínio provenientes do gigante asiático.

Esta foi a segunda denúncia de Pequim na OMC, depois de uma outra apresentada em 5 de abril contra a imposição de taxas aduaneiras no valor de 50.000 milhões de dólares que os Estados Unidos anunciaram que iriam aplicar a uma lista de 1.300 produtos chineses.

Os 1.300 procutos chineses incluem tecnologia de ponta das indústrias aeroespacial e robótica.

Tópicos:

Pequim,

A informação mais vista

+ Em Foco

Esta é uma das regiões mais geladas do mundo. E continua a aquecer a uma taxa mais rápida do que qualquer outro lugar da Terra.

    A descoberta acidental veio demonstrar que o animal poderá estar em perigo de extinção.

      A partir da Ilha do Sal, em Cabo Verde, a jornalista da RTP Carla Adão escreve sobre as primeiras horas da cimeira da Comunidade de Países de Língua Portuguesa.

      No dia em que se assinala o centenário do nascimento de Nelson Mandela, o jornalista António Mateus recorda o legado do histórico líder sul-africano.