OMC considera que guerra comercial já começou numa perspetiva política

| Economia

|

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo, disse hoje que uma guerra comercial já começou numa perspetiva política, depois da contenda sobre as taxas aduaneiras entre Washington e Pequim.

"Tecnicamente não estamos aí. Há certas medidas que foram anunciadas, mas ainda não foram aplicadas e há um diálogo", entre esses países, afirmou Azevedo na conferência de imprensa da apresentação do relatório da organização sobre as perspetivas comerciais mundiais.

Azevedo reconheceu, contudo, que "politicamente se deve estar a assistir ao início (da guerra comercial) e por isso pede aos Estados membros (da OMC) para tentarem evitá-la".

O Governo chinês apresentou esta semana à OMC uma denúncia contra os Estados Unidos por estes terem imposto taxas aduaneiras de 25% e de 10% a determinados produtos de aço e alumínio provenientes do gigante asiático.

Esta foi a segunda denúncia de Pequim na OMC, depois de uma outra apresentada em 5 de abril contra a imposição de taxas aduaneiras no valor de 50.000 milhões de dólares que os Estados Unidos anunciaram que iriam aplicar a uma lista de 1.300 produtos chineses.

Os 1.300 procutos chineses incluem tecnologia de ponta das indústrias aeroespacial e robótica.

Tópicos:

Pequim,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.