Parlamento Europeu aprova por curta margem nomeação de Guindos para BCE

| Economia

O Parlamento Europeu deu hoje luz verde definitiva, por uma margem curta, à nomeação para vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) de Luis de Guindos, no meio de críticas sobre o processo de designação.

O ex-ministro da Economia espanhol recebeu o voto favorável de 331 deputados, reunidos em sessão plenária em Estrasburgo, mas votaram contra 306 e 64 abstiveram-se.

Os deputados "manifestaram preocupação em relação ao equilíbrio entre homens e mulheres, ao processo de nomeação, ao calendário da nomeação e à independência política", explicou o Parlamento Europeu em comunicado.

O Parlamento Europeu quer que o Conselho "inicie um diálogo com o Parlamento sobre a possibilidade de melhorar o processo tendo em vista futuras nomeações".

O ex-ministro da Economia espanhol, que já foi substituído no cargo por Roman Escolano, deverá ser oficialmente aprovado pelos chefes de Estado e de Governo da União Europeia na cimeira que decorre em 22 e 23 de março para suceder a Vítor Constâncio no BCE a partir de 01 de junho.

 

Tópicos:

Guindos, Luis, Vítor Constâncio,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.