PIB aumenta 2,5% no terceiro trimestre

| Economia

|

O Produto Interno Bruto cresceu 2,5 por cento em volume, no terceiro trimestre deste ano, comparando com o mesmo trimestre de 2016. O Instituto Nacional de Estatística revela que o contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB aumentou, com uma aceleração do consumo privado. Já o contributo da procura externa líquida foi negativo.

O contributo positivo da procura interna foi um factor preponderante para a variação homóloga do PIB, verificando-se uma “aceleração do consumo privado e um abrandamento do Investimento”.

Já a procura externa líquida esteve no vermelho, ao contrário do que aconteceu no trimestre anterior, “refletindo a desaceleração em volume das Exportações de Bens e Serviços e a aceleração das Importações de Bens e Serviços”.

Em relação ao segundo trimestre, o PIB aumentou 0,5 por cento em termos reais, mais 0,2 pontos percentuais que no trimestre anterior.

No entanto, no trimestre anterior o crescimento da economia tinha sido de três por cento em volume.


“O contributo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB passou de negativo a positivo, observando-se um aumento das Exportações de Bens e Serviços superior ao das Importações de Bens e Serviços”, indica o INE, acrescentando que “o contributo da procura interna diminuiu ligeiramente no 3º trimestre, devido à redução do Investimento, tendo o consumo privado aumentado”, quando apresentava variação negativa no trimestre anterior.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2018, o Governo reviu em alta a estimativa do crescimento da economia de 1,8 para 2,6 por cento este ano e de 1,9 para 2,2 por cento no próximo.
Finanças: Crescimento confirma meta de 2017
O Ministério das Finanças afirmou hoje que o crescimento económico no terceiro trimestre, divulgado pelo INE, confirma as projeções do Governo de uma subida de 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no conjunto do ano.

Para o ministério tutelado por Mário Centeno, este é um "crescimento elevado" e que "confirma as projeções do PIB para 2017", de um crescimento económico de 2,6% no conjunto deste ano.

"Este crescimento económico corresponde às expectativas traçadas pelo Governo no Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), corroborando a solidez dos cenários macroeconómicos subjacentes às projeções orçamentais", afirma.

Recorde-se que, na proposta de OE2018, o Governo reviu em alta a estimativa do crescimento da economia, de 1,8% para 2,6% este ano e de 1,9% para 2,2% no próximo.

O ministério destaca que os dados divulgados hoje "refletem o dinamismo da economia", assinalando que a Portugal cresce, em cadeia, "pelo 14.º trimestre consecutivo, num contexto de maior equilíbrio das contas públicas e das contas externas".

As Finanças sublinham também que o crescimento do PIB "acompanha uma evolução sólida do mercado de trabalho, com mais 141,5 mil empregos e menos 105,5 mil desempregados face a 2016, tendo a taxa de desemprego descido para os 8,5%".

c/ Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.