PIB cresce 4,9% em cadeia e 15,5% em termos homólogos no segundo trimestre

por RTP
Pedro Nunes - Reuters

O Produto Interno Bruto (PIB) português registou um crescimento de 4,9% no segundo trimestre face ao primeiro, e de 15,5% face ao mesmo período do ano passado, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"O Produto Interno Bruto (PIB), em termos reais, registou uma variação homóloga de 15,5% no 2.º trimestre de 2021 (-5,3% no trimestre anterior)", pode ler-se num destaque hoje divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Esta é a maior subida em 25 anos.

Segundo o INE, "esta evolução é influenciada por um efeito base, uma vez que as restrições sobre a atividade económica em consequência da pandemia se fizeram sentir de forma mais intensa nos primeiros dois meses do segundo trimestre de 2020, conduzindo então a uma contração sem precedente da atividade económica".

O INE sublinha que "o contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB acentuou-se e o contributo da procura externa líquida foi menos negativo no segundo trimestre", o que traduz sobretudo "o aumento mais significativo das Exportações de Bens".

"Refira-se ainda que no 2.º trimestre de 2021, em termos homólogos, se registou uma perda nos termos de troca, tendo o comportamento do deflator das importações sido influenciado, em larga medida, pelo crescimento pronunciado dos preços dos produtos energéticos", lê-se ainda na nota divulgada pelo INE.

Comparativamente com o primeiro trimestre, o PIB português aumentou 4,9% em volume, "mais que compensando a variação em cadeia negativa (-3,2%) observada nesse trimestre". O INE explica que este resultado "traduziu, em larga medida, o contributo positivo expressivo da procura interna para a variação em cadeia do PIB, após ter sido negativo no 1º trimestre. Em menor grau, refletiu ainda um contributo da procura externa líquida menos negativo no 2º trimestre de 2021". Portugal lidera subidas na zona euro
O PIB da zona euro subiu no segundo trimestre deste ano, 13,7% face ao mesmo período de 2020, marcado pela pandemia, e 2% face aos primeiros três meses de 2021.

Uma estimativa rápida hoje publicada pelo gabinete estatístico da União Europeia (UE), o Eurostat, revela que o PIB ajustado sazonalmente aumentou 13,7% na zona euro e 13,2% na UE no segundo trimestre de 2021 em comparação com o período homólogo do ano passado.

Já na variação em cadeia, o PIB ajustado sazonalmente aumentou, no segundo trimestre de 2021, 2% na zona euro e 1,9% na UE, em comparação com o trimestre anterior.

Na comparação com os primeiros três meses de 2021, Portugal registou a maior subida neste segundo trimestre entre os 11 países com dados disponíveis para o Eurostat, com o PIB português a crescer 4,9% na variação em cadeia, seguido da Áustria (+4,3%) e da Letónia (+3,7%).

A Lituânia (+0,4%) e a República Checa (+0,6%) registaram o menor aumento do PIB no segundo trimestre deste ano.

Por seu lado, na comparação homóloga, o PIB português subiu 15,5%, o quarto maior aumento, a seguir a Espanha (19,8%), França (18,7%) e Itália (17,3%), adianta o Eurostat.

c/Lusa

pub