`Plano Juncker` passa a abranger setores como floresta, pesca e agricultura

| Economia

O Parlamento Europeu (PE), a Comissão Europeia e o Conselho da UE chegaram a acordo para que o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE 2.0) abranja novos setores, como a floresta, a pesca e a agricultura, foi hoje anunciado.

O acordo final para o FEIE 2.0, conhecido como Plano Juncker, foi conseguido após sete rondas negociais e foi alargado a novos setores, nomeadamente, agricultura, floresta, aquacultura, pesca e à área social.

O relator do PE para o FEIE 2.0, José Manuel Fernandes, disse, em comunicado, que Portugal, que agora tem um acesso mais facilitado ao novo fundo, "tem a obrigação de avançar com plataformas de investimento, por exemplo, para a regeneração urbana, investimentos na área do turismo, floresta, área social e ambiente".

Desde a sua criação em 2015, o FEIE já contribuiu para mais de 225 mil milhões de euros em investimentos, beneficiando 425 mil Pequenas e Médias Empresas (PME) e criando 300 mil novos empregos na UE.

O Plano Juncker pretende mobilizar 500 mil milhões de euros até 2020.

Tópicos:

Fernandes, Médias,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A Alemanha foi a votos com uma economia próspera. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.

      Com muito ou pouco orçamento, o mínimo que se exige é que as Forças Armadas saibam tomar conta de si.

      O ímpeto independentista ganhou força, motivado pela crise e pelas divergências em relação ao Estatuto da Autonomia da Catalunha.