Polícias e militares marcam para Maio vigília junto ao Palácio de Belém

| Economia

Polícias e militares começam a 2 de Maio uma vigília junto ao Palácio de Belém, em Lisboa, em protesto contra o congelamento das carreiras profissionais, foi hoje anunciado.

Em conferência de imprensa conjunta, as estruturas representativas dos polícias e dos militares referiram que a vigília junto da Presidência da República não tem data para terminar, anunciando também que vão participar na manifestação do dia 25 de Abril, em Lisboa e no Porto.

A conferência de imprensa foi realizada pela Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, Associação dos Profissionais da Guarda, Associação Nacional de Sargentos, Associação de Oficiais das Forças Armadas e Associação de Praças, Associação Nacional de Sargentos da Guarda e Sindicato Independente dos Agentes de Polícia.

Depois de terem enviado uma moção ao primeiro-ministro e um documento ao Presidente da República para exigirem o descongelamento das carreiras, como está previsto no Orçamento do Estado de 2018, os dirigentes das estruturas que representam os elementos das forças de segurança e militares das Forças Armadas realizaram o encontro com os jornalistas, devido "a ausência de soluções concretas".

Tópicos:

Belém,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.