Portugal coloca 1.500 ME em dívida a 6 e 12 meses aos juros mais baixos de sempre

| Economia

|

Portugal colocou hoje 1.500 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses às taxas de juro mais baixas de sempre, de novo ainda mais negativas do que as dos anteriores leilões comparáveis, foi anunciado.

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, a 12 meses foram colocados 1.100 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) à taxa de juro média de -0,349%, de novo negativa e inferior à registada em 20 de setembro de 2017, quando foram colocados 1.250 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,345%.

A seis meses foram colocados 400 milhões de euros em BT à taxa média de -0,400%, mais negativa do que a verificada também em 20 de setembro, quando foram colocados 500 milhões de euros a -0,363%.

A procura atingiu 2.310 milhões de euros para os BT a 12 meses, 2,10 vezes superior ao montante colocado, e 1.165 milhões de euros para os BT a seis meses, 2,91 vezes o montante colocado.

De acordo com o programa de financiamento do quarto trimestre de 2017, esta é a última emissão de dívida de curto prazo prevista até ao final do ano.

Tópicos:

Bloomberg, Dívida,

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.