Presidente da Ryanair recusa responder a políticos

| Economia
Presidente da Ryanair recusa responder a políticos

O presidente executivo da Ryanair, Michael O'Lery, explicou porque razão é que a empresa recusou ser ouvida no parlamento português sobre a situação laboral.

Em abril, a comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas... aprovou por unanimidade um requerimento do Bloco de Esquerda para a audição, com caráter de urgência, da administração da Ryanair.

O presidente executivo da companhia aérea diz agora que não quis responder aos deputados porque é uma pessoa de negócios e não de política.

Depois destas declarações, todos os partidos políticos à exceção do PSD, que recusou fazer comentários, tecem duras críticas a Michael O'Lery.

O Partido Socialista diz que vai fazer tudo para que o presidente da Ryanair preste declarações no parlamento. Também o Partido Comunista classifica a atitude de arrogante e considera que o presidente da companhia aérea não pode ficar impune.

O parlamento queria ouvir esclarecimentos da Ryanair sobre o conflito da empresa com os trabalhadores que acusavam a companhia aérea de não cumprir a lei portuguesa.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.