Residentes ajudam hotelaria a recuperar crescimento das dormidas em Maio (INE)

| Economia

A hotelaria registou 2,0 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas em maio, correspondendo a subidas de 3,5% e 1,1%, contra descidas de 5,2% e 8,3% em abril, respetivamente, divulgou hoje o INE.

As dormidas de residentes cresceram 5,4% enquanto as dos não residentes apresentaram uma ligeira diminuição de 0,2% (-10,6% e -7,5% em abril, respetivamente, mês que tinha sido afetado pelo efeito de calendário da Páscoa), de acordo com os dados sobre a atividade turística produzidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A estada média (2,67 noites) reduziu-se 2,4% (-1,5% no caso dos residentes e -2,0% nos não residentes) e a taxa líquida de ocupação-cama (54,7%) recuou 0,4 pontos percentuais.

Os proveitos totais aumentaram 9,1%, depois dos 2,5% registados em abril, atingindo 344,7 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento aumentaram 10,4% (2,6% em abril), ascendendo a 252,2 milhões de euros.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.