Residentes ajudam hotelaria a recuperar crescimento das dormidas em Maio (INE)

| Economia

A hotelaria registou 2,0 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas em maio, correspondendo a subidas de 3,5% e 1,1%, contra descidas de 5,2% e 8,3% em abril, respetivamente, divulgou hoje o INE.

As dormidas de residentes cresceram 5,4% enquanto as dos não residentes apresentaram uma ligeira diminuição de 0,2% (-10,6% e -7,5% em abril, respetivamente, mês que tinha sido afetado pelo efeito de calendário da Páscoa), de acordo com os dados sobre a atividade turística produzidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A estada média (2,67 noites) reduziu-se 2,4% (-1,5% no caso dos residentes e -2,0% nos não residentes) e a taxa líquida de ocupação-cama (54,7%) recuou 0,4 pontos percentuais.

Os proveitos totais aumentaram 9,1%, depois dos 2,5% registados em abril, atingindo 344,7 milhões de euros, enquanto os proveitos de aposento aumentaram 10,4% (2,6% em abril), ascendendo a 252,2 milhões de euros.

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.