Taxa de desemprego no Reino Unido cai para 4,3% no 3º trimestre, mínimo dos últimos 12 anos

| Economia

A taxa de desemprego no Reino Unido no terceiro trimestre desceu para 4,3%, menos 59.000 pessoas do que no trimestre precedente, contra 4,8% no mesmo período de 2016 e valor mais baixo dos últimos 12 anos.

Segundo os dados da agência nacional de estatística britânica (Office for National Statistics, ONS), o desemprego - que inclui tanto os que beneficiam do subsídio de desemprego como os que não, atingiu 1,42 milhões de pessoas no terceiro trimestre, o valor mais baixo dos últimos 12 anos.

Em relação ao número de beneficiários do subsídio este aumentou para 806.100 pessoas no terceiro trimestre, mais 1.100 pessoas do que no trimestre precedente, adiantou a ONS.

O salário médio semanal dos trabalhadores em termos nominais - não ajustados à inflação - cresceu 2,2%, incluindo as bonificações, menos 0,1% do que no trimestre precedente e menos 0,3% do que no mesmo trimestre de 2016.

Quanto ao salário semanal recebido pelos trabalhadores em termos reais, ajustados à taxa de inflação, este recuou 0,4% face ao trimestre anterior.

Os dados indicam também que o número de pessoas empregadas no terceiro trimestre se cifrou em 32,06 milhões, menos 14.000 do que no trimestre anterior e mais 279.000 pessoas do que no mesmo trimestre de 2016.

Assim, a taxa de emprego foi de 75% no terceiro trimestre, contra 74,4% no mesmo trimestre de 2016.

A ONS também indicou que o número de pessoas consideradas como economicamente inativas entre os 16 e os 64 anos - que não trabalham nem procuram emprego - aumentou para 8,88 milhões, mais 117.000 do que no trimestre anterior e menos 20.000 pessoas do que no mesmo trimestre de 2016.

O responsável das estatísticas da ONS, Matt Hughes, considerou hoje que "depois de dois anos a registar crescimentos de forma quase ininterrupta, o emprego recuou ligeiramente" no Reino Unido.

"Contudo, continua a ser mais levado do que há um ano neste mesmo período e como sempre advertimos os cidadãos para não tirarem demasiadas conclusões com base nos dados correspondentes a um trimestre", adiantou.

O número de cidadãos comunitários que trabalham no Reino Unido aumentou no período em referência para 2,38 milhões de pessoas, mais 112.000 do que no trimestre precedente, enquanto o número de cidadãos extra comunitários recuou para 1,21 milhões, menos 23.000 pessoas do que no trimestre anterior.

"A robustez da economia está a impulsionar um acréscimo dos empregos permanentes a tempo completo e um número quase recorde de pessoas que estão agora a trabalhar graças às reformas de bem-estar adotadas pelo governo", afirmou o ministro do Emprego, Damian Hinds.

Tópicos:

Unido,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.