Taxa de jovens `nem-nem` recua na UE para mínimos de há dez anos (Eurostat)

| Economia

A percentagem de jovens que não trabalham nem estudam recuou, no primeiro trimestre, para o valor de há dez anos na União Europeia (UE), com a zona euro e Portugal a acompanharem a tendência, estima hoje o Eurostat.

De acordo com uma estimativa do gabinete de estatísticas da UE, nos primeiros três meses de 2018, a taxa de jovens entre os 15 e os 24 anos que não trabalham nem estudam ('nem-nem') recuou para os 10,6% nos 28 Estados-membros, quer em termos homólogos (10,9% no primeiro trimestre de 2017), quer face aos 10,8% registados entre outubro e dezembro últimos.

Esta percentagem é igual ao valor mínimo registado no primeiro trimestre de 2008, quando atingiu o valor mínimo.

Na zona euro, estimam-se em 10,8% os jovens 'nem-nem', um recuo homólogo (11,0%) e também na variação trimestral (10,9%).

Portugal acompanhou, na variação homóloga, a tendência em baixa (9,2% entre janeiro e março de 2017), mas a percentagem de jovens 'nem-nem' manteve-se estável nos 8,8% na variação trimestral.

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.