Taxa de juro média dos novos créditos à habitação recua para 1,46% em Abril (BdP)

| Economia

A taxa de juro média dos novos créditos a particulares para habitação diminuiu três pontos base, para 1,46%, em abril face a março, tendo estas novas operações somado 783 milhões de euros, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Em março, o volume de novas operações para compra de casa tinha sido de 876 milhões de euros, o máximo desde julho de 2010, e a taxa de juro média tinha-se fixado nos 1,49%.

Segundo a nota de informação estatística do banco central, no crédito ao consumo e para outros fins as taxas de juro médias foram, respetivamente, de 7,13% (7,27% em março) e 3,71% (3,57% em março), tendo os volumes de novas operações totalizado, respetivamente, 370 e 142 milhões de euros.

Em abril, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras aumentou 14 pontos base face a março, para 2,55%.

De acordo com o BdP, esta subida "refletiu o aumento das taxas de juro, tanto no segmento das operações abaixo de um milhão de euros (oito pontos base para 2,88%), como no das operações acima de um milhão de euros (23 pontos base para 2,09%)".

Em abril, a taxa de juro média dos novos depósitos até um ano de sociedades não financeiras fixou-se em 0,12%, subindo dois pontos base face ao mês anterior.

No caso dos particulares, o valor médio da taxa de juro dos novos depósitos até um ano desceu um ponto base, fixando-se em 0,16%.

 

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.

    Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

      É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

        Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.