UGT acusa sindicato da CGTP de "enorme irresponsabilidade" na Autoeuropa

| Economia

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, acusou hoje o sindicato da CGTP que marcou a greve na Autoeuropa de "enorme irresponsabilidade" e sublinhou que o diálogo e a negociação devem ser o caminho a seguir na empresa.

A acusação do líder da central sindical foi feita durante uma conferência de imprensa onde foram apresentadas as reivindicações da UGT para 2018.

"É uma enorme irresponsabilidade o sindicato da CGTP [SITE-Sul] ter avançado daquela forma para uma greve", disse Carlos Silva defendendo que antes da convocação da paralisação, que ocorreu em 30 de agosto, "devia ter havido um esforço de negociação" e de perceber se havia disponibilidade da administração.

De acordo com o secretário-geral da UGT, "quando houve disponibilidade, a greve já estava convocada e não havia nada a fazer".

Tópicos:

Autoeuropa, CGTP, UGT,

A informação mais vista

+ Em Foco

Na Grande Entrevista da RTP, o ministro João Matos Fernandes lamentou que os problemas ambientais sejam muitas vezes menorizados.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.