UGT acusa sindicato da CGTP de "enorme irresponsabilidade" na Autoeuropa

| Economia

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, acusou hoje o sindicato da CGTP que marcou a greve na Autoeuropa de "enorme irresponsabilidade" e sublinhou que o diálogo e a negociação devem ser o caminho a seguir na empresa.

A acusação do líder da central sindical foi feita durante uma conferência de imprensa onde foram apresentadas as reivindicações da UGT para 2018.

"É uma enorme irresponsabilidade o sindicato da CGTP [SITE-Sul] ter avançado daquela forma para uma greve", disse Carlos Silva defendendo que antes da convocação da paralisação, que ocorreu em 30 de agosto, "devia ter havido um esforço de negociação" e de perceber se havia disponibilidade da administração.

De acordo com o secretário-geral da UGT, "quando houve disponibilidade, a greve já estava convocada e não havia nada a fazer".

Tópicos:

Autoeuropa, CGTP, UGT,

A informação mais vista

+ Em Foco

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Eram muito jovens quando chegaram a Old Trafford. Há 60 anos o mundo chorou a perda de uma das melhores equipas de sempre em Inglaterra, treinada por Matt Busby.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.