Vice-presidente do Banco de Portugal diz que supervisão não pode ir além do permitido na lei

por RTP

A vice-presidente do Banco de Portugal, Elisa Ferreira, defende que a supervisão bancária não pode afastar-se do que é permitido por lei. Uma alusão às críticas de que o banco central e o antigo governador Vítor Constâncio têm sido alvo no caso do empréstimo à fundação Beraldo para comprar ações do BCP.