Vistos gold. Chineses investem menos, brasileiros reforçam posição

por RTP
Nos primeiros nove meses deste ano, o investimento de origem brasileira captado por via dos vistos dourados chegou aos 132,6 milhões de euros Marcelo del Pozo - Reuters

De janeiro a setembro deste ano, o investimento de origem brasileira captado pelo mecanismo dos vistos gold atingiu os 132,6 milhões de euros, ou seja, cresceu em 46,5 por cento relativamente ao mesmo período de 2018. Em sentido contrário, o investimento chinês regrediu.

Os números do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras são citados este domingo pela agência Lusa. Nos primeiros nove meses de 2019, o investimento captado da China, através das Autorizações de Residência para Atividade de Investimento – os chamados vistos dourados – caiu em 11 por cento, face ao período homólogo. Cifrou-se, ainda assim, em 180 milhões de euros.De janeiro a setembro, foram atribuídos 323 vistos gold a cidadãos chineses.


De janeiro a setembro de 2018, o investimento chinês havia atingido os 203 milhões de euros.

Por outro lado, o investimento oriundo do Brasil cresceu em 46,5 por cento, atingindo os 132,6 milhões de euros. O total de vistos atribuídos ao abrigo deste mecanismo foi de 176.

Já quanto ao investimento da Turquia deu-se um recuo de 48,5 por cento de janeiro a setembro, por comparação como período homólogo, para os 38,5 milhões de euros. Setenta e um cidadãos turcos receberam autorizações de residência.

O investimento proveniente dos Estados Unidos somou 38,5 milhões de euros até setembro, tendo sido atribuídos 49 vistos. Já a Rússia, que recolheu 40 autorizações de residência, totalizou um investimento de 26,3 milhões.O total do investimento captado via vistos gold nos primeiros nove meses do ano foi de 601,5 milhões de euros, num acréscimo de um por cento face ao período homólogo.


No mês de setembro, o total de investimentos captados por esta via foi de 48.450.021,42 euros, valor que traduz um crescimento de 29,7 por cento face a 2018. Da comparação com agosto, mês em que o investimento totalizou 82,5 milhões de euros, resulta uma quebra de 41 por cento.

Implementado em outubro de 2012, o programa dos vistos gold totalizou já um investimento acumulado de 4.851.321.701,65 euros. Só a compra de imóveis ascendeu a 4.378.813.787,85 euros. As autorizações concedidas por via da transferência de capital totalizam 472.507.913,8 euros.

Desde 2012 foram concedidos 7.960 vistos - dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018 e 998 este ano.

c/ Lusa
Tópicos