Eleições brasileiras: Filho de Bolsonaro ameaça Tribunal Supremo Eleitoral

| Eleições Brasil

|

O filho do candidato à presidência do Brasil ameaçou o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) caso o seu pai seja impedido de participar na segunda volta das eleições, agendadas para este domingo.

Num vídeo publicado nas redes sociais, durante o fim de semana, o filho Eduardo Bolsonaro avisou que o TSE - a maior autoridade eleitoral do país - irá sofrer “consequências terríveis” se bloquear a candidatura do seu pai.

As declarações polémicas surgiram como resposta à pergunta de uma apoiante do Partido Social Liberal, que queria saber qual era a estratégia da campanha de Jair Bolsonaro caso o TSE proibisse o seu pai de assumir a presidência. Eduardo disse ainda, numa alusão ao tipo de consequências que a campanha poderia originar, que “bastariam dois soldados para fechar o TSE”.

Nas últimas semanas, a imprensa brasileira tem noticiado a possibilidade de o candidato de extrema-direita ter recebido várias doações de grandes empresas para financiar a campanha da segunda-volta eleitoral.

Estas ações são consideradas ilegais pelo código eleitoral do Brasil que refere no artigo 222: “O voto é considerado nulo ou vazio quando está viciado por falsidade, fraude e coerção”.

O TSE recebeu também uma petição, com mais de 160 mil assinaturas, a pedir-lhe para invalidar a candidatura de Bolsonaro. Os signatários do documento argumentam que o candidato é responsável por “ter criado um clima de intolerância e violência [no Brasil] ”, depois de terem sido registados vários ataques, por parte de muitos apoiantes, incentivados pelo discurso agressivo de Bolsonaro contra os seus adversários.

Depois de ter aceitado a petição, o TSE informou Jair Bolsonaro que este tem cinco dias para apresentar o seu caso. Se o tribunal decidir a favor da acusação, o candidato do Partido Social Liberal poderá ficar impedido de participar na vida política durante oito anos, falhando, dessa forma, a segunda volta eleitoral e, por conseguinte, a possível nomeação a presidente do Brasil.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.