Negociações pós-legislativas estão em marcha

por RTP

Foto: Manuel de Almeida - Lusa

O partido Livre não tem interesse num entendimento bilateral com o PS, e disse-o já esta quarta-feira a António Costa. Afirma-se, no entanto, disponível para uma convergência multipartidária à esquerda.

Tal como há quatro anos, mas agora já como primeiro-ministro indigitado, António Costa faz uma ronda negocial tentando um entendimento alargado à esquerda - sem condicionalismos de Belém.

À semelhança do que aconteceu em 2015, o líder socialista é recebido nas sedes do Bloco de Esquerda, do PCP e do PEV, do PAN e do estreante livre.

Na receção à delegação do PS, Joacine Katar Moreira, a única deputado eleita pelo Livre, mostrou-se empenhada em contribuir para que António Costa se mantenha à frente do Governo.

Mas o Livre só está disponível para uma união à esquerda multipartidária.