António Costa e Jerónimo de Sousa: o frente-a-frente na íntegra

por RTP

Os dois líderes políticos não negaram divergências profundas quando questionados sobre futuros entendimentos de governo entre PS e CDU.

Jerónimo de Sousa caraterizou os socialistas como uma força política de "continuidade", defendendo que o país precisa "de uma rutura", enquanto António Costa pediu "clareza" aos comunistas sobre a sua posição face à União Económica Monetária (UEM).

Os secretários-gerais do PS e do PCP estiveram em aberta divergência sobre a posição de Portugal face às regras da zona euro.

O secretário geral do PS considerou ainda que o governador do Banco de Portugal fez um favor político ao governo, quando disse que a solução para o Novo Banco não tinha riscos. E exigiu esclarecimentos urgentes ao Governo sobre o adiamento da venda do Novo Banco.