PAN quer proibir touradas, circo com animais e caça desportiva

por RTP

O partido Pessoas, Animais e Natureza candidata-se com a agenda ecológica e da sustentabilidade em primeiro plano. Em entrevista ao Página 2 da RTP, André Silva defende o fim dos espetáculos que incluam a morte ou sofrimento dos animais, mas também luta por taxar a pecuária intensiva e a diminuir o horário de trabalho para as 30 horas semanais.

Num cenário de crise económica que tem prejudicado muitas famílias, o responsável do PAN lança o alerta para os animais que sofrem desse cenário. "Os animais também sofrem com a crise económica, mas é a causa humana que é mais vincada no nosso programa", defende André Silva.

Assumindo uma agenda ecológica, o partido pretende agir sobre as causas da poluição. "Somos o único partido que quer taxar o maior poluidor - a pecuária intensiva", afirma André Silva, que exemplifica medidas como "retirar apoios à pecuária intensiva, taxar os seus produtos e investir na agricultura biológica"

A redução do horário de trabalho é outra das apostas, considerando que se deve reduzir o trabalho semanal para as 30 horas.
Criminalizar o abandono e maus tratos aos animais
Lembrando que pelo menos cem mil animais são abatidos todos os anos em Portugal, André Silva defende alterações às regras para a criação de animais, e a promoção de políticas fortes de adoção.

"Queremos criminalizar o abandono e os maus tratos. Temos que dar dignidade jurídica aos animais", afiança o líder do partido Pessoas, Animais e Natureza.

Por isso mesmo, defende medidas duras para com atividades que implicam morte ou sofrimento de animais. "Touradas, caça desportiva e circo com animais devem ser proibidas", argumenta André Silva, realçando que "Não se pode gastar dinheiros públicos na cultura da morte e do sangue e não investir nas pessoas". "Encarcerar animais nos circos para divertimento de alguns é inadmissível”, defende.