Força Aérea Portuguesa assume novamente a missão de policiamento aéreo dos países Bálticos

| Entrevistas
Força Aérea Portuguesa assume novamente a missão de policiamento aéreo dos países Bálticos

Entrevista exclusiva ao embaixador de Portugal na NATO.

A Força Aérea portuguesa assumiu pela quarta vez a liderança da missão de policiamento aéreo dos países Bálticos: Lituânia, Estónia e Letónia. São quatro F-16 que estarão em permanente alerta até 31 de agosto. O contingente envolve cerca de noventa militares nas áreas de operações e apoio.

O embaixador português na NATO, Luís Almeida Sampaio, recebeu a Antena 1 na nova sede da NATO, em Bruxelas, para explicar esta missão e de que forma o empenho de Portugal é reconhecido na Aliança Atlântica, numa altura em que as Forças Armadas portuguesas começam, também este mês, outra missão no Afeganistão.

Nesta entrevista exclusiva à correspondente da Antena 1, Andrea Neves, Luís Almeida Sampaio começa por explicar a importância da missão de Portugal no espaço aéreo da Lituânia.

No Afeganistão, os 146 militares Portugueses, três dos quais mulheres, têm como função garantir a proteção do aeroporto internacional de Cabul.

É uma força de intervenção rápida de proteção constituída a partir das unidades da Brigada de Intervenção dos Regimentos de Vila Real, Viseu e Braga.

A missão da NATO no Afeganistão, designada "Resolute Support Mission" começou em 2015 e visa o treino, aconselhamento e apoio às forças militares e de segurança e o fortalecimento das instituições do Afeganistão, contando com cerca de 13 mil militares de 39 países.

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.