Memórias do Curdistão: valeu a pena

| Entrevistas
Memórias do Curdistão: valeu a pena

DR

Entrevista a Irene Guia, missionária portuguesa que chegou ao Curdistão Iraquiano no início de outubro de 2016 e regressou a Portugal há cerca de duas semanas.

Foi um tempo passado no apoio a refugiados e deslocados que fugiram do Estado Islâmico. Yazidis, cristãos, muçulmanos, todos tratados de forma igual pelo Serviço Jesuíta aos refugiados. Todos com marcas profundas das perseguições, raptos, violações e morte, que foram a imagem de marca do Estado Islâmico. 


Foram meses de muito trabalho com pessoas que sofrem com a guerra, mas a alma regressou cheia e com a noção de que, poder ajudar, é um privilégio.

O jornalista José Manuel Rosendo esteve com Irene Guia no Curdistão iraquiano, logo no início da missão e, agora, foi o reencontro, num estúdio de rádio, para esta entrevista.

Foto: Irene Guia (direita) em Qaraqosh (zona árabe), uma cidade maioritariamente cristã e onde o Estado Islâmico esteve muito tempo, tendo ficado com um grande nível de destruição. 

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.