Nós lá fora

| Entrevistas
Nós lá fora

Foto: FPF

André Ribeiro é o único jogador a atuar no estrangeiro convocado para o mundial de sub-20. Joga no Zurique na Suíça.

A seleção portuguesa concentra-se esta segunda-feira na Cidade do Futebol e parte terça-feira para Osaca no Japão, onde vai realizar um estágio antes da competição na Coreia do Sul.

Filho de emigrantes portugueses, André Ribeiro nasceu em terras helvéticas.

Iniciou-se no futebol no Étoile Carouge. Aos 15 anos mereceu a atenção do Zurique, mudou de cidade e de língua, em Genéve fala-se francês, na cidade mais populosa da Suíça fala-se alemão.

No primeiro ano ficou na Academia do Zurique, atualmente vive na casa de uma família portuguesa.

Em Dezembro de 2014 concretizou um dos sonhos, o Pai recebeu um telefonema da Federação Portuguesa de Futebol, era a convocatória para a seleção de sub-18.

Seguiu o coração e escolheu Portugal em detrimento do convite da seleção suíça.

Hoje conta dezassete internacionalizações.

Assume outro sonho, jogar na liga portuguesa.

Esteve uma semana a treinar no Seixal na equipa +B+ do Benfica, o futuro ficou a aguardar o final do contrato com o Zurique que termina este ano.

Enquanto não define o seu futuro, André Ribeiro, que joga em todas as posições do ataque, pensa no mundial de sub-20.

Zâmbia, Irão e Costa Rica são os adversários da seleção portuguesa na primeira fase da competição.

A prova realiza-se na Coreia do Sul, entre os dias 20 de Maio e 11 de Junho.

A seleção portuguesa de sub-20 concentra-se segunda-feira, parte dia nove para Osaka, no Japão, onde vai realizar um estágio, dia 16 viaja para a Coreia do Sul, dia 21 estreia-se frente à Zâmbia.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A Alemanha foi a votos com uma economia próspera. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.

      Em entrevista exclusiva ao "Olhar o Mundo" aquele que já foi o mais novo primeiro-ministro da União Europeia (2014-2016) aconselha Portugal a apostar nas novas tecnologias e na juventude do país.

      O ímpeto independentista ganhou força, motivado pela crise e pelas divergências em relação ao Estatuto da Autonomia da Catalunha.