Sondagem RTP/Católica. PS à frente nas intenções de voto com dez pontos de vantagem sobre o PSD

| Eleições Europeias 2019

|

A sondagem da Universidade Católica Portuguesa para a RTP e jornal Público revela que o PS é a lista que recolhe maior percentagem de intenções de voto nas eleições europeias. A estimativa de resultados eleitorais da Católica dá 33 por cento ao PS. O PSD pode ter a pior votação de sempre em eleições nacionais, com 23 por cento. A sondagem indica ainda a possibilidade de PAN e Aliança poderem eleger um eurodeputado. BE, CDU e CDS-PP apresentam percentagens de voto semelhantes, com ligeira vantagem para o Bloco de Esquerda.

Os dados da sondagem do CESOP-Universidade Católica Portuguesa para a RTP apontam para uma estimativa de resultados eleitorais de 33 por cento para os socialistas e de 23 por cento para os sociais-democratas. A sondagem foi realizada entre os dias 16 e 19 de maio a 1882 inquiridos, com uma margem de erro máximo de 2,3 por cento, com um nível de confiança de 95 por cento.

O Bloco de Esquerda seria a terceira lista mais votada, com 9 por cento dos votos, seguido de perto pela CDU (PCP+Os Verdes) e CDS-PP com 8 por cento cada.

PAN e Aliança alcançariam, à data da inquirição, 3 por cento dos votos cada um.

Os restantes partidos, em conjunto, conseguiriam 6 por cento dos votos e os votos em branco/nulo seriam superiores, com 7 por cento.

As estimativas propostas são baseadas apenas nas intenções de voto dos inquiridos que afirmaram que iam votar “de certeza”. De acordo com a Católica, estes resultados não preveem o que vai acontecer nas eleições – apenas retratam o posicionamento dos portugueses à data da inquirição.



Traduzindo as estimativas eleitorais desta sondagem para mandatos, significaria que o PS elegeria 8 a 9 eurodeputados, enquanto o PSD conseguiria 5 ou 6 mandatos.

Ou seja, o PS poderia eleger mais um eurodeputado do que tem até aqui. O PSD poderia perder um parlamentar.

BE, CDU e CDS conseguiriam, cada um, dois mandatos.
No total, Portugal elege 21 eurodeputados.
Para o Bloco de Esquerda, seria sinónimo de mais um eurodeputado do que tinha até agora. Para a CDU, seria menos um europdeputado. O CDS-PP elegeria mais um eurodeputado do que tem atualmente no Parlamento Europeu, sendo que nas eleições de 2014, o partido apresentou-se em coligação com o PSD.

PAN e Aliança, de acordo com esta sondagem, poderão eleger um deputado, no máximo, cada um e entrar pela primeira vez no Parlamento Europeu.



A estimativa de resultados eleitorais é obtida calculando a percentagem de intenções diretas de voto em cada lista em relação ao total de votos válidos, excluindo abstenção, não respostas e indecisos. Estas estimativas têm um valor indicativo, dado que diferentes pressupostos poderão gerar resultados diferentes.

Na presente sondagem, a intenção direta de voto é de 22 por cento para o PS, 12 por cento para o PSD, 6 por cento para o BE, 3 por cento tanto para a CDU como para CDS-PP e PAN. O Aliança alcança 2 por cento das intenções diretas de voto, enquanto as restantes listas representam 5 por cento das intenções.



Nesta lista, os votos em branco/nulos representam 7 por cento das respostas, 15 por cento estão na classificação “Não sabe” e 5 por cento recusou responder. 17 por cento dizem que não vão votar. A percentagem de indecisos e recusas é a habitual neste tipo de sondagens a uma semana das eleições, refere a Católica.



Na pergunta sobre a intenção de votar, 19 por cento responderam que “Em princípio vai votar” e 49 por cento disseram que “De certeza que vai votar”.

De acordo com o CESOP-Universidade Católica, a partir destas respostas não é possível prever um valor para a abstenção.

Se 49 por cento das pessoas que aceitaram participar na sondagem disseram que iam votar de certeza, não se pode garantir que essa intenção se confirme no dia 26 ou que percentagem se poderia obter junto das pessoas que não conseguiram contactar ou recusaram participar.

O estudo da Universidade Católica mostra ainda que as mulheres estão mais indecisas do que os homens quanto a votar (17 por cento vs 12 por cento) e quanto a quem votar (18 por cento vs 11 por cento).

A proporção de intenções de voto no PS e na CDU aumenta com a idade. Os partidos ditos mais pequenos captam mais eleitorado jovem e quase não entram no escalão etário mais elevado.

De acordo com o estudo, a intenção de votar é mais forte entre as pessoas com maior grau de escolaridade.

Ficha técnica:
Esta sondagem foi realizada pelo CESOP–Universidade Católica Portuguesa para a RTP e para o Público entre os dias 16 e19 de maio de 2019. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram selecionadas vinte e três freguesias do país, tendo em conta a distribuição dos eleitores por Regiões NUTSII, de modo a garantir que as médias dos resultados eleitorais das últimas eleições nesse conjunto de freguesias (ponderado o peso eleitoral das suas Regiões NUTSII de pertença) estivessem a menos de 1 ponto percentual dos resultados nacionais das cinco candidaturas mais votados em cada eleição. Os domicílios em cada freguesia foram selecionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o próximo aniversariante recenseado eleitoralmente. Foram obtidos 1882 inquéritos válidos, sendo 57% dos inquiridos mulheres, 40% da região Norte, 17% do Centro, 30% de Lisboa, 7% do Alentejo e 6% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição de eleitores residentes no Continente por sexo, escalões etários, e região na base dos dados do recenseamento eleitoral e das estimativas do INE. A taxa de resposta foi de 57%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1882 inquiridos é de 2,3%, com um nível de confiança de 95%.

Tópicos:

Universidade Católica, sondagem, Eleições europeias,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em Orlando, Donald Trump apresentou-se como vítima do jornalismo “fake” e insistiu no ataque à imigração ilegal.

Ján Kuciak e Martina Kusnírová foram encontrados mortos em casa, perto de Bratislava, a 26 de fevereiro de 2018.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.