Mais de 700.000 chegaram este ano à Europa via Mediterrâneo, revela a ONU

| Fuga para a Europa

Mais de 700.000 migrantes chegaram em 2015 à Europa através do Mediterrâneo e 3.210 morreram ou desapareceram durante a travessia, anunciou hoje o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

No total, foram 705.200 os migrantes que atravessaram o Mediterrâneo, 562.355 dos quais chegaram à Grécia e 140.000 a Itália.

De acordo com o ACNUR, os sírios representam um pouco mais da maioria dos que chegam, atingindo os 64% no caso da Grécia.

"O número de chegadas continua a ser elevado" na Grécia, "apesar da deterioração das condições meteorológicas no fim de semana", indicou, por seu turno, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) numa nota enviada à imprensa.

Segundo a OIM, 5.239 pessoas chegaram à Grécia no sábado e 4.199 no domingo.

Desde o início do mês, mais de 160.000 migrantes chegaram à Grécia vindos da Turquia, 99.000 dos quais desembarcaram em Lesbos, 22.000 em Chios, 21.500 em Samos e cerca de 7.500 em Léros, adiantou.

A Itália chegaram 7.230 migrantes em outubro, contra mais de 15.000 no mesmo período do ano passado. A OIM atribui a diminuição ao facto dos sírios seguirem agora essencialmente pela Turquia e pela Grécia.

Tópicos:

Grécia, Itália, Lesbos Chios, Mediterrâneo,

A informação mais vista

+ Em Foco

Meio século depois, o Parlamento soviético dos finais da Guerra Fria repudiou o Pacto. Decorridos mais 30 anos, Putin quer reabilitá-lo.

    A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.