A caminhada de Portugal para chegar ao Mundial 2018

| Futebol Internacional

Portugal festejou com as adeptos a qualificação
|

A Seleção Portuguesa qualificou-se esta terça-feira para o Mundial 2018 na Rússia. A equipa portuguesa conseguiu a quinta qualificação consecutiva para a maior prova tutelada pela FIFA e continua sem falhar grandes competições neste século. Numa viagem de dez jogos que terminou com o triunfo sobre a Suíça, a equipa de Portugal teve de correr atrás do prejuízo, contra os helvéticos que durante toda a qualificação estiveram à frente do Grupo B de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2018. Com Fernando Santos, é a segunda vez consecutiva que a seleção das quinas não precisa do play-off para se apurar.

Depois dos resquícios da festa da conquista do Euro 2016, Portugal começou a caminhada rumo à Rússia com um amigável frente a Gibraltar, no Estádio do Bessa. Sem grande surpresa, a equipa portuguesa goleou por 5-0, com golos de Nani (por duas vezes), Pepe, João Cancelo e Bernardo Silva.

Cinco dias depois, a turma de Fernando Santos iniciou a fase de apuramento para o Mundial 2018, em Basileia, contra a equipa da casa. Sem Cristiano Ronaldo, que debelava lesão sofrida na final do Europeu, Portugal perdeu por 2-0 com a Suíça, numa partida em que sentiu a falta do capitão português. Embolo e Mehmedi marcaram os golos do triunfo helvético, contra uma equipa portuguesa que nunca conseguiu chegar com perigo à baliza de Yann Sommer.

A partir dessa altura, a equipa portuguesa, já com Cristiano Ronaldo disputou 24 pontos. Pontos que acabaria por conquistar com oito vitórias consecutivas, acompanhadas de outros oito triunfos da Suíça.
Ronaldo/André Silva: parceria de golos
A 7 de outubro, Portugal voltou a entrar em campo, em Aveiro. O adversário foi a Andorra que não permitiu qualquer surpresa. Imposição de uma goleada por 6-0, com o primeiro póquer de Cristiano Ronaldo ao serviço da seleção. João Cancelo e André Silva fecharam as contas dos golos.

Em Tórshavn, capital das Ilhas Faroé, nem o piso sintético impediu André Silva de brilhar. O agora jogador do AC Milan marcou três dos seis golos da vitória lusa, que ainda contaram com golos de CR7, João Moutinho e João Cancelo.


A fechar o ano (brilhante) de 2016, Portugal recebeu e goleou a Letónia no Algarve. Cristiano Ronaldo bisou e foi acompanhado na lista de marcadores por William Carvalho (que marcou o primeiro golo pela Seleção) e Bruno Alves.

Nos primeiros dois jogos de qualificação em 2017, a equipa de Fernando Santos arrecadou mais seis pontos com dois triunfos por 3-0. Primeiro, no Estádio da Luz, frente à Hungria e depois em Riga, na Letónia, com quatro golos de Cristiano Ronaldo e mais dois de André Silva.

Já depois da participação na Taça das Confederações onde Portugal alcançou o terceiro lugar, a seleção das quinas voltou a vencer com uma goleada. No Estádio do Bessa, Cristiano Ronaldo abriu a contagem com um pontapé acrobático, em noite de hat-trick para o capitão português. William Carvalho e Nélson Oliveira completaram a noite de golos.

Após o desaire com a Suíça, a equipa portuguesa foi conseguindo triunfo atrás de triunfo, muito com a ajuda de dois jogadores. Cristiano Ronaldo (14 golos) e André Silva (seis golos) foram os grandes abonos goleadores da equipa das quinas, com o capitão português a espreitar a liderança da lista de melhores marcadores da fase de qualificação europeia.
A batalha de Budapeste e sintético traiçoeiro
A 3 de setembro Portugal enfrentou um dos mais duros testes durante a fase de qualificação. Em Budapeste, a equipa de Fernando Santos jogou contra uma equipa magiar que mostrou grande agressividade em campo e à meia hora de jogo já jogava com menos um. Priskin acabou expulso, após agressão a Pepe.

Num campo difícil para jogar e com a equipa adversária a jogar fechada na sua própria área, foi só na segunda parte que Cristiano Ronaldo cruzou e encontrou André Silva que encostou para o único golo da partida.

Seguiu-se depois um encontro difícil no sintético de Andorra, com Fernando Santos a pensar na final frente à Suíça. Ronaldo começou no banco e foi precisa a entrada do capitão português para desbloquear o resultado, que ao intervalo se cifrava numa igualdade a zero.

Com sentido de oportunidade, Cristiano Ronaldo aproveitou um corte defeituoso de defesa andorrenho (depois de cruzamento de Ricardo Quaresma) e encontrou o fundo das redes pela primeira vez, para gáudio dos muitos portugueses que se encontravam no Estádio.
A equipa das quinas ficou mais confortável quando André Silva fez o 2-0 final.
Na Luz, a consagração
A 10 de Outubro, Portugal deu o passo decisivo para chegar ao Mundial. Depois de oito triunfos, a equipa das quinas recebeu a Suíça no Estádio da Luz, tendo em mente em mente apenas um resultado: a vitória.

Só os três pontos podiam garantir o apuramento direto e Portugal correspondeu. Apesar de um início de jogo em que os helvéticos controlaram a posse de bola, um autogolo de Dourou perto do intervalo colocou os lusos à frente do Grupo B.

Com 45 minutos ainda por jogar, a Suíça quis chegar ao empate mas mostrou-se uma equipa nervosa em campo. Assim, Portugal jogou entre si e capitalizou a vantagem que trouxe da primeira parte. Perfeita jogada de entendimento entre João Moutinho e Bernardo Silva, que encontrou André Silva. O jogador do Milan marcou o segundo e último golo da fase de qualificação.

Até ao fim do jogo, a equipa de Fernando Santos controlou a ansiedade do adversário e conseguiu o apuramento direto para a Rússia. Com este triunfo, Portugal qualifica-se para o quinto Mundial consecutivo. Trinta e dois golos depois, espera-se pela equipa lusa em terras russas.

Tópicos:

2018, Andorra, Apuiramento, Hungria, Ilhas Faroé, Letónia, Mundial, Qualificação, Suíça, Portugal,

Pesquise por: 2018, Andorra, Apuiramento, Hungria, Ilhas Faroé, Letónia, Mundial, Qualificação, Suíça, Portugal,

A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.