Copa América. Zapata coloca Colômbia nos “quartos”

por Mário Aleixo - RTP
Zapata marcou e a Colômbia já está nos quartos-de-final da Copa América Epa-Paulo Whitaker

Um cabeceamento de Zapata, servido magistralmente por James Rodríguez, aos 86 minutos, valeu à Colômbia, de Carlos Queiroz, um triunfo (1-0) sobre o Qatar e o apuramento para os quartos-de-final da Copa América em futebol.

Tendo em conta que já tinha batido a Argentina por 2-0, a formação “cafetera” passou a somar seis pontos e é a primeira seleção a chegar aos “quartos”, fase que também já atingira nas últimas três edições (2011, 2015 e 2016).

No Morumbi os comandados do técnico português dominaram o encontro por completo, tendo muito mais tempo a bola e rematando muito mais, mas esbarraram consecutivamente na bem organizada e muito solidária defensiva dos campeões asiáticos.

A Colômbia teve mais dificuldades na primeira parte, em que só conseguiu criar uma situação clara de golo, aos 13 minutos, num cabeceamento de James Rodríguez que saiu muito pouco ao lado do poste direto, após centro da direita de Roger Martínez.

Na segunda parte, Yerry Mina, aos 56 minutos, Roger Martínez, aos 62 e 65, também tiveram boas ocasiões, mas o golo só chegou aos 86, com Zapata -- que tinha faturado no mesmo minuto à Argentina - a cabecear certeiro, depois de uma trivela de James.

O Qatar, que se tinha estreado com um empate 2-2 com o Paraguai, depois de estar a perder por 2-0, ainda tentou chegar à igualdade, num jogo em que pouco rematou, mas, já aos 90+4 minutos, foi a Colômbia que quase voltou a faturar, por Zapata.

A Colômbia lidera o Grupo B com seis pontos.
Queiroz diz que Colômbia sofreu porque não marcou cedo

O treinador português Carlos Queiroz afirmou que a Colômbia sofreu para vencer o Qatar (1-0) e selar o apuramento para os quartos de final da Copa América em futebol por não ter marcado cedo.

"Quando não marcas um golo cedo, o destino é sofrer. Sofremos porque não tivemos a capacidade para marcar mais cedo", disse o técnico luso, acrescentando: "O Qatar não me surpreendeu, porque é uma equipa que se posiciona muito bem e joga muito fechada".


"Foram 90 minutos de muita concentração e o Qatar teve muito mérito em não nos deixar jogar. Não recebemos nenhuma oferta. Os jogadores colombianos tiveram de trabalhar muito e, por isso, tiveram todo o mérito", frisou Queiroz.

Com o apuramento garantido a uma jornada do fim da fase de grupos, o selecionador da Colômbia afirmou que outros jogadores podem ter a sua oportunidade face ao Paraguai, no domingo.

"Temos de fazer contas ao cansaço dos jogadores. Tivemos dois jogos muito difíceis e temos alguns jogadores fatigados e com pequenos problemas físicos. A falta de um golo cedo também teve a ver com a fadiga", explicou.

Queiroz adiantou que tem a "intenção de rodar jogadores", até porque "todos estão na Copa América por mérito".