Portugal defronta EUA a testar alternativas de futuro

| Futebol Internacional

A seleção preparou ao detalhe o jogo desta noite com os Estados Unidos
|

A seleção portuguesa de futebol volta esta terça-feira a ter novo teste na preparação para o Mundial2018, desta vez perante os Estados Unidos, naquela que poderá ser a última oportunidade de alguns jogadores para convencerem Fernando Santos.

O selecionador mostrou-se satisfeito após a vitória de sexta-feira perante a Arábia Saudita (3-0), em Viseu, num encontro que teve quatro estreias absolutas (Edgar Ié, Kevin Rodrigues, Bruno Fernandes e Bruma), um regresso (Manuel Fernandes) e alguns jogadores ainda a dar os primeiros passos na equipa principal, como Ricardo Pereira, Ruben Neves e Gonçalo Guedes.

A partir das 20h45, no Estádio Municipal de Leiria, perante os norte-americanos, estes jogadores deverão ter nova oportunidade para se mostrar a Fernando Santos, num jogo em que a lista de estreantes promete voltar a aumentar.

José Sá, que tirou ao espanhol Iker Casillas a titularidade na baliza do FC Porto, deverá alcançar a sua primeira internacionalização, assim como o defesa Ricardo Ferreira, do Sp. Braga, o médio Rony Lopes, do Mónaco, e o avançado Gonçalo Paciência.

Na conferência de imprensa de antevisão do jogo o selecionador Fernando Santos confirmou que não jogará a mesma equipa que defrontou os sauditas mas atuarão alguns dos habituais titulares para manter um "onze" de alta voltagem.



Sobre o adversário desta noite o técnico português reconheceu que se trata de uma equipa com um jogo objetivo, rápido e com boa qualidade técnica.



O duelo com o Estados Unidos vai ser o último da seleção nacional em 2017, numa fase em que já prepara a participação no Campeonato do Mundo da Rússia, prova que não vai contar com a presença dos norte-americanos, que falharam a qualificação, algo que já não sucedia desde o Mundial de 1986.

A receita do jogo, à semelhança do que aconteceu no Portugal-Arábia Saudita, vai reverter para as vítimas dos incêndios que, recentemente, atingiram o país.

O desafio terá arbitragem do inglês Anthony Taylor com transmissão televisiva na RTP 1 e relato na Antena 1.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.