Seleção de Portugal ganha lugar na Liga A das Nações

| Futebol Internacional

Portugal está na primeira divisão europeia de seleções
|

A equipa das quinas está no principal escalão da nova prova da UEFA que se inicia em setembro de 2018, com a fase final a ser disputada em junho de 2019.

A UEFA oficializou na quarta-feira a lista final das quatro divisões da nova Liga das Nações, em seleções.

Portugal está na Liga A ao lado das representações nacionais da Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Inglaterra, Suíça, Itália, Polónia, Islândia, Croácia e Holanda.

Os vencedores da Liga A – que será dividida em quatro grupos de três – terão acesso às meias-finais, lutando pela presença na final. Os quatro últimos serão relegados para a Liga B, processo seguido em cada uma das divisões seguintes.

Os primeiros classificados de cada liga inferior serão promovidos ao escalão superior.

O sorteio da fase de grupos que se jogará entre setembro e novembro de 2018, está agendado para 24 de janeiro do próximo ano, sendo a fase final disputada entre 5 e 9 de junho de 2019.
Participantes nas ligas B, C e D
Na Liga B estão as seleções da Áustria, País de Gales, Rússia, Eslováquia, Suécia, Ucrânia, Irlanda, Bósnia, Irlanda do Norte, Dinamarca, República Checa e Turquia.

A Liga C é composta por Hungria, Roménia, Escócia, Eslovénia, Grécia, Sérvia, Albânia, Noruega, Montenegro, Israel, Bulgária, Finlândia, Chipre, Estónia e Lituânia.

Finalmente a Liga D é composta pelas seguintes seleções: Azerbaijão, Macedónia, Bielorrússia, Geórgia, Arménia, Letónia, Ilhas Faroé, Luxemburgo, Cazaquistão, Moldávia, Liechtenstein, Malta, Andorra, Kosovo, San Marino e Gibraltar.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.