Filipe Martins espera jogo "definido nos pormenores" entre Casa Pia e Famalicão

por Lusa

O treinador do Casa Pia, Filipe Martins afirmou hoje que espera um encontro "muito equilibrado e definido nos pormenores" na receção ao Famalicão, a contar para a sétima jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Num duelo entre a melhor defesa do campeonato, a par do Benfica, e o pior ataque, Filipe Martins lembrou que o Famalicão costuma ter “jogadores com muita qualidade e a exportar muitos para as equipas grandes em Portugal, e este ano não foge à regra”, mesmo com alterações substanciais na equipa-tipo, embora sem reduzir a qualidade.

“[O Famalicão] Ainda não encontrou o seu melhor processo, no entanto não deixa de ser uma equipa com valia, ideias e bons valores individuais. Ainda agora começou e cabe-nos que não seja amanhã [domingo] o início da retoma do Famalicão. Vai ser um jogo muito equilibrado e definido nos pormenores”, sublinhou, na antevisão à partida.

Os ‘gansos’ têm sido apelidados por muitos de ‘equipa-sensação’ neste início de época e Filipe Martins explicou que o foco do clube, desde o primeiro dia em que chegou, foi “fazer uma grande equipa, a valer pelo seu todo e que não vive muito de individualidades”.

“O que faz, neste momento, o Casa Pia estar na posição em que está é ter uma equipa bastante organizada e humilde, e queremos que assim continue. Os jogadores sabem que ninguém está acima da equipa. Se algum se deslumbrar, cá estarei para os chamar à terra. Podemos contar novamente com um plantel competitivo. Pode entrar ou sair uma peça e a matriz da equipa não muda”, expressou o treinador, natural da Amadora.

No duelo da jornada anterior, em Paços de Ferreira, Filipe Martins mudou pela primeira vez o ‘onze’ inicial, ao alterar dois centrais e um médio, fruto também da lesão de João Nunes, em dúvida ainda para este jogo, enquanto Poloni e Antoine são ‘baixas’ certas.

“Não mudo a equipa só quando há resultados menos bons, temos de sentir momentos e o jogo. Às vezes, temos jogadores frescos no banco que podem fazer a diferença e, acima de tudo, os jogadores novos estão mais integrados nas ideias e fisicamente mais aptos. Qualquer que seja o ‘onze’ inicial, será uma equipa muito competitiva”, afirmou.

O lateral esquerdo Leonardo Lelo foi chamado pelo selecionador português de sub-21, Rui Jorge, pela primeira vez, o que deixou Filipe Martins orgulhoso, atribuindo o mérito em exclusivo ao trabalho e à mentalidade do jovem futebolista desde a época anterior.

“É fruto de muito trabalho dele, é um jogador abnegado. É fruto do Poloni, que não lhe facilita a vida em nada e, mais do que isso, é estar integrado numa equipa competente. É mais fácil chamar a atenção do selecionador nacional quando estamos numa equipa que tem sucesso e organização. O mérito vai todo para o trabalho e a mentalidade do Lelo, que tem provado que está pronto para a I Liga e, quiçá, outros patamares”, disse.

O lateral direito Lucas Soares também esteve presente na conferência de imprensa de antevisão, em que perspetivou igualmente um “jogo difícil”, rejeitando a denominação ‘equipa-sensação’, pois “há outras equipas, como Chaves e Rio Ave, que o podem ser”.

“Acredito no meu potencial. Temos um plantel forte e qualquer uma das escolhas do ‘mister’ dá conta do recado. Estou contente com o meu começo de campeonato, mas ainda tenho de melhorar algumas coisas. É um processo”, destacou o atleta brasileiro.

O Casa Pia, sexto colocado, com 11 pontos, recebe o Famalicão, 15.º, com quatro, no domingo, a partir das 18:00, no Estádio Nacional, em Oeiras, em jogo da sétima ronda da I Liga de futebol, com arbitragem de Miguel Nogueira, da Associação de Futebol de Lisboa.
pub