Futebol de Lés a Lés

| Futebol Nacional
Futebol de Lés a Lés

Atlético dos Arcos aposta na prata da casa para fazer uma boa época.

O Atlético dos Arcos está a viver um tempo novo. O clube com cinco anos de existência estreia-se nas competições nacionais de futebol ao participar na época 2017/18 no Campeonato de Portugal.

Nesta edição de Futebol de Lés a Lés o presidente José Marinho começou por contar como está o clube a viver esta nova experiência: “Estamos conscientes do trabalho a realizar com um orçamento mais baixo em relação aos nossos adversários diretos”.

Para o líder do jovem clube, o Atlético dos Arcos que integra a Série A do Campeonato de Portugal, arranca para a nova temporada com dois objetivos: “Tentar a permanência no Campeonato de Portugal apostando nos jogadores formados no clube e valorizando-os”.

Selar a permanência nesta competição é na perspetiva de José Marinho “uma mais-valia para o clube, aqueles que o representam e a vila de Arcos de Valdevez”.

Com cinco anos de existência o Atlético dos Arcos ainda tem poucos sócios e como revelou o seu presidente: “Vive de patrocínios de alguns empresas locais, da publicidade sonora e estática no estádio e com 30 mil euros anuais que a câmara dá de subsídio”.

E assim vive o Atletiquinho, como lhe chamam carinhosamente os adeptos, uma instituição que representa a vila minhota de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Filipe Vasconcelos Romão, comentador de assuntos internacionais, refere que o artigo 155 da Constituição Espanhola será aplicado sem que haja qualquer lei de enquadramento.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Em entrevista à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o ministro do Trabalho e da Segurança Social considera que a apresentação da moção de censura não vai trazer mudanças significativas.