Treinador do Moreirense quer pontuar ineditamente no Dragão

por Lusa

O treinador João Henriques priorizou hoje um Moreirense competente para congregar no domingo a primeira vitória, à sexta jornada da I Liga de futebol, a um inédito resultado nas 11 visitas anteriores ao FC Porto.

“Temos o hábito de dificultar a vida aos ‘grandes’. É isso que pretendemos. O histórico do Moreirense não é nada positivo. Nunca conseguiu sequer pontuar no Dragão, mas há sempre uma primeira vez para tudo e vamos com esse intuito de ganhar os três pontos. Isso é imperativo em todas as jornadas, mesmo sabendo que neste jogo 100% da responsabilidade é do adversário”, observou o técnico, em conferência de imprensa.

Os minhotos vão encarar à sexta ronda o quarto duelo com clubes que terminaram a última edição da prova nas seis primeiras posições, após derrotas caseiras frente a Benfica (1-2) e Sporting de Braga (2-3) e um empate no terreno do Santa Clara (2-2).

“Não estamos a deitar fora a nossa responsabilidade, que é sermos aquilo que temos vindo a ser em qualquer jogo que fizemos até hoje. Temos sempre os olhos na baliza adversária e não é por jogarmos no Dragão que o objetivo deixa de ser este. Agora, conscientes e estrategicamente preparados para defrontar uma das melhores equipas europeias e um dos representantes de Portugal na Liga dos Campeões”, considerou.

O FC Porto voltará a competir quatro dias depois do ‘nulo’ com os espanhóis do Atlético de Madrid, na estreia do Grupo B da principal prova continental de clubes, mas João Henriques acredita que “estará sempre a 100%”, mesmo abdicando de alguns titulares.

“Se olharmos para o banco de suplentes, percebemos que a equipa fica muito forte na mesma. Para nós, é mais uma possibilidade de somar a primeira vitória. Não vamos descurar isso, sabendo de antemão que temos pela frente um FC Porto muito forte em casa contra qualquer adversário. Não fugiremos à regra, mas temos condições para ser competitivos durante 90 minutos”, frisou o técnico, ainda privado do brasileiro Galego, por lesão.

Rodrigo Conceição também fica ausente dos convocados, uma vez que está emprestado pelos ‘azuis e brancos’, numa fase da época em que o Moreirense procura maior estabilidade defensiva, ao contar 10 golos sofridos, a uma média de dois por encontro.

“Vamos procurar ser mais felizes. É preciso que essa ‘estrelinha’ esteja sempre presente para vencer um ‘grande’, sendo que nós estamos à procura dela para vencer qualquer jogo. Aquilo que temos feito até agora deixa-nos otimistas de que o triunfo acontecerá mais jogo, menos jogo. Esperemos que dê para ‘matar o borrego’ no Dragão e premeie o trabalho destes atletas, que estão muito concentrados nas nossas dinâmicas”, almejou.

João Henriques já deverá contar com Steven Vitória, que falhou o empate na receção ao Famalicão (2-2), atendendo ao seu regresso dos compromissos da seleção do Canadá apenas na antevéspera da partida, recusando adotar uma equipa de tração defensiva.

“O adversário vai procurar resolver o jogo o mais depressa possível para poder gerir o esforço tremendo que teve a meio da semana. Vai ser um bom jogo e veremos duas equipas com estratégias distintas. Não vamos estar constantemente a atacar, mas não encostaremos a linha defensiva à nossa baliza, porque não somos assim”, concluiu.

O Moreirense, 15.º colocado, com três pontos, visita o FC Porto, quarto, com 11, no domingo, às 18:00, no Estádio do Dragão, no Porto, em encontro da sexta jornada da I Liga, com arbitragem de António Nobre, da associação de Leiria.
pub