Vasco Seabra admite Moreirense mais desinibido nos jogos fora de casa

por Lusa

O treinador Vasco Seabra reconheceu hoje que os futebolistas do Moreirense se libertam mais nos jogos fora de casa, na véspera da visita ao estádio do Portimonense, em encontro da 32.ª jornada da I Liga.

“Efetivamente, em termos pontuais, tem acontecido isso. A equipa tem estado serena e tranquila, ainda para mais nesta fase, na qual a ansiedade e o stress, associados à classificação, são muito elevados. Contudo, sabemos que somos uma equipa capaz de arrancar pontos onde quer que seja”, observou o técnico, em conferência de imprensa.

Contratado em janeiro, Vasco Seabra já contabilizou 16 pontos fora de Moreira de Cónegos, metade do registo apresentado em casa, onde os minhotos não vencem desde 29 de dezembro de 2020, quando derrotaram o Santa Clara (1-0), na 11.ª jornada.

“Agora, teremos dois jogos seguidos [diante de Portimonense e Sporting de Braga] e a oportunidade de aumentar o nosso pecúlio fora de portas. É com esse entusiasmo que seguimos para o Algarve, onde nos espera um jogo difícil. Ainda assim, estamos muito motivados, porque é mais uma chance para voltarmos a lutar pelos três pontos”, notou.

O Moreirense não ganha há cinco jogos e igualou a pior sequência de resultados nesta edição do campeonato, antes de ter pela frente um Portimonense “com qualidade individual e coletiva, que coloca muita agressividade e intensidade seja contra quem for”.

“Eles têm essa vontade de querer garantir a permanência e nós essa vontade de vencer. Temos um grupo dedicado, que quer levar essa paixão e jogar com alegria”, sustentou o técnico do Moreirense, cuja manutenção na I Liga fica garantida se pontuar no Algarve e o Boavista não vencer o líder Sporting, que se pode sagrar campeão nesta jornada.

Os recentes resultados atrasaram os minhotos na luta pela sexta posição, a última de acesso às provas europeias da próxima época, que é ocupada pelo Vitória de Guimarães e está à distância de cinco pontos, quando restam nove em disputa até ao final da prova.

“Luta-se pela vida em todos os jogos. A ansiedade também esteve associada ao facto de querermos muito regressar às vitórias em casa. A equipa é lúcida, madura e serena, pelo que estou com uma convicção muito grande de que estaremos estáveis. A forma como terminámos o último jogo reflete a forma como nos batemos pelas coisas”, enalteceu.

Esse empate na receção ao lanterna-vermelha Nacional (2-2) marcou a estreia do guarda-redes Kewin Silva, em substituição de Mateus Pasinato, que perdeu o estatuto de único totalista dos vimaranenses nesta edição do campeonato, devido a uma fratura do nariz.

“Foi muito difícil escolher. O Kewin e o Miguel Oliveira têm um nível idêntico e muito alto. Estávamos tranquilos com qualquer coisa que acontecesse ao Pasinato, apesar da época que tem feito. A resposta do Kewin foi muito boa. Já o Miguel vai ter um comportamento exemplar todos os dias e, se for utilizado, trará tranquilidade e capacidade”, finalizou.

O Moreirense, nono classificado, com 37 pontos, visita o Portimonense, 12.º, com 34, seis acima da zona de descida direta, na segunda-feira, às 18:00, no Estádio Municipal de Portimão, em jogo da 32.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.
pub