Borussia de Dortmund ponderou desistir da Champions

| Liga dos Campeões

Hans-Joachim Watzke, CEO do Borussia de Dortmund
|

O diretor-executivo do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke, admitiu a hipótese de o clube retirar-se da Liga dos Campeões de futebol depois do ataque com explosivos ao autocarro do clube alemão, na terça-feira.

"Em determinado momento pensei que devíamo-nos retirar da Liga dos Campeões", admitiu Watzke do semanário alemão Der Spiegel. O dirigente do clube germânico disse ter depois reconsiderado, já que a saída 'Champions' "seria uma vitória" para os autores do atentado.

O jogo com os franceses do Mónaco, da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões estava inicialmente marcado para terça-feira, mas acabou por realizar-se no dia seguinte, terminando com a vitória por 3-2 da formação monegasca, treinada pelo português Leonardo Jardim.

Depois do jogo, o treinador do Borussia, Thomas Tuchel, criticou a opção da UEFA em realizar o encontro, já que os seus jogadores ainda estavam em "estado de choque".

Segundo o diretor-geral- que, pouco depois do atentado, falou, por telefone, com a chanceler alemã, Angela Merkel -, nenhum jogador foi obrigado a jogar, tendo sido dada a possibilidade a toda a equipa de decidir se disputavam ou não o jogo com o Mónaco.

Do ataque de terça-feira resultou um ferido, o defesa espanhol Marc Bartra, que sofreu uma lesão no braço direito, devido aos estilhaços dos vidros, e teve que ser operado.

O autocarro do Borussia Dortmund, onde joga o internacional português Raphael Guerreiro, foi atacado com três engenhos explosivos, a caminho do estádio para defrontar o Mónaco, que provocaram ferimentos em Bartra e num polícia motorizado da escolta.

As autoridades alemãs mantêm aberta a investigação ao ataque, apesar de a justiça já ter dito não existir uma ligação entre o ataque e a detenção na quarta-feira de um iraquiano de 26 anos, alegadamente do autoproclamado estado islâmico.

Os alemães não descartam as possibilidades de o ataque estar relacionado a movimentos extremistas de extrema-direita ou esquerda radical, nem também de adeptos violentos.

Junto ao autocarro terão sido encontradas mensagens, nas quais a Alemanha era instada a retirar os aviões tornado da coligação que combate na Síria e a fechar a base de Ramstein, mas os especialistas em segurança entendem que nem a linguagem, nem a forma de comunicação, são habituais no jihadistas.

(com Lusa)

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

      Sem possibilidade de receber os ordenados em euros ou de pagar as contas em Portugal, muitos recorrem ao mercado negro para trocar dinheiro.

      É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago. Os investigadores viram agora renovado o financiamento.