Maria Flor Pedroso entrevista José Ribeiro e Castro

| Maria Flor Pedroso
Maria Flor Pedroso entrevista José Ribeiro e Castro

Foto: Antena1

Antigo líder do CDS/PP considera profundamente perturbador do Centro Direita e da Democracia, o que se passou com a eleição no Grupo Parlamentar do PSD.

José Ribeiro e Castro, antigo líder do CDS diz tratar-se "de uma guerrilha insensata” o que se passou com a eleição no Grupo Parlamentar do PSD: “Se alguém queria enfrentar o Dr. Fernando Negrão dá a cara. Agora assim, é uma coisa que faz muito mal, em primeiro lugar ao PSD, mas também à Democracia".

O antigo líder do CDS responsabiliza a fragilidade da oposição de centro Direita ao Governo com o facto de não ter percebido que para governar tem de ter maioria, concluindo que "se continuarmos a ganhar eleições assim, continuaremos a perdê-las eternamente".

Ribeiro e Castro, ainda não decidiu se vai ao Congresso do partido em Lamego em meados de Março, mas nesta entrevista à Antena1 reconhece que se revê mais no CDS liderado por Assunção Cristas do que por Paulo Portas. Cristas "tem uma liderança consolidada" afirma Ribeiro e Castro que se diz "bastante afastado" da atividade partidária".


Concorda com a ideia, já expressa pela Direção do CDS, de que o partido deve ir às Europeias e às Legislativas sozinho.

Pode ver aqui na íntegra esta entrevista de Maria Flor Pedroso a Ribeiro e Castro:

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

    Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

      A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.