Maria Flor Pedroso entrevista Margarida Balseiro Lopes

| Maria Flor Pedroso
Maria Flor Pedroso entrevista Margarida Balseiro Lopes

Foto: Antena1

Líder da JSD quer ver discutidas, antes das férias parlamentares, a delação premiada e a criminalização do enriquecimento ilícito.


A nova líder da JSD diz que nunca lhe passou pela cabeça liderar o PSD, mas questionada sobre o futuro, não descarta: "não sei", diz.

Mas outras certezas tem Margarida Balseiro Lopes. Quer ver discutidas, antes das férias parlamentares, a delação premiada e a criminalização do enriquecimento ilícito. Ainda não falou com o líder do partido sobre o assunto. "Primeiro falo na JSD, a proposta será da JSD, e só depois falarei com o líder do meu partido".

Outra proposta sobre a qual também ainda não falou com Rui Rio é a exclusividade dos deputados, que defende. "Sei que é muito polémico, até no meu partido". Sugere que, no salário base dos Deputados, sejam incluídas as ajudas de custo iguais para todos, Independentemente do local de residência.

Nesta entrevista à Antena 1, Margarida Balseiro Lopes garante que "em questões de transparência, não importa se é o partido A ou B, temos é de ter a certeza de que não volta a acontecer". Exemplifica com as PPP's e com as rendas fixas.

Tem dúvidas sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito proposta pelo BE, e sustenta que os casos de Sócrates e de Pinho não são para atacar o PS.


Pode ver aqui na íntegra esta entrevista de Margarida Balseiro Lopes a Maria Flor Pedroso:

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.