A partir da prisão, Navalny critica "guerra estúpida" de Putin na Ucrânia

por Andreia Martins - RTP
Yuri Kochetkov - EPA

Num raro ato público de dissidência, a figura mais proeminente da oposição contra o presidente russo aproveitou o depoimento desta terça-feira num tribunal de Moscovo, por videoconferência, para criticar abertamente a intervenção russa na Ucrânia. A justiça russa confirmou entretanto a condenação de Navalny a nove anos de prisão em "regime severo".

A 22 de março, Alexei Navalny foi condenado a nove anos de prisão por fraude e desobediência ao tribunal. Hoje, o tribunal municipal de Moscovo confirmou a condenação. “O veredicto do tribunal de Lefortovo de 22 de março não mudou”, indicou o juiz.

Na audiência antes do encerramento do processo, o dissidente aproveitou o depoimento em tribunal para atacar o Kremlin, em particular a guerra na Ucrânia.

Considerou que o conflito foi “construído com base em mentiras” e é “uma guerra estúpida que Putin começou”.

“Um louco enfiou as suas garras na Ucrânia e não sei o que quer dali, aquele ladrão louco”, afirmou Navalny entre as várias interrupções por parte do juiz.

O ativista russo, detido numa prisão de Pokrov, a 100 quilómetros de Moscovo, prestou declarações por videoconferência antes do encerramento do processo. Trancado numa cela, antecipou uma “derrota histórica” para Vladimir Putin na Ucrânia.

Navalny foi acusado de ter desviado cerca de 25 mil dólares de doações a organizações que fundou. Para além da pena de nove anos em “regime severo”, em condições de detenção muito duras, a que já está condenado, Navalny está desde fevereiro de 2021 a cumprir uma pena de prisão de dois anos e meio, num outro caso de alegada fraude que remonta a 2014.

O dissidente negou sempre todas as acusações da justiça russa, argumentando que são “fabricadas” pelo regime para conter as suas aspirações e ambições políticas enquanto líder da oposição.

Na sessão de hoje, Alexei Navalny afirmou que “o julgamento não faz sentido” e disso “desprezar o tribunal” e o sistema que o está a julgar.

“Claro que não quero continuar nesta cela. Preferia ver os meus filhos a crescerem. Mas peço às pessoas que não tenham medo, ter medo é um crime contra o nosso futuro”, vincou.

Alexei Navalny foi detido em janeiro de 2021 no regresso de Moscovo a partir de Berlim. O opositor russo regressou de forma voluntário após ter estado vários meses na capital alemã a recuperar de um envenenamento por Novichok, em agosto de 2020.

O opositor e várias potências ocidentais responsabilizaram o regime russo pelo envenenamento, algo que o Kremlin sempre negou.
pub